A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Itapeva
Alfredo Nunes
Itanguá
...

ramal de Itararé-1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Estrada de Ferro Sorocabana (1927-1971)
FEPASA (1971-1998)
ALFREDO NUNES (antiga TAQUARI)
Município de Itapeva, SP
Ramal de Itararé - km 348,259 (1931)   SP--0896
    Inauguração: 01.1927
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1931 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Itararé começou a ser construído em 1888, partindo da estação de Boituva, mas somente em 1895 chegou a Itapetininga, com extensão de 65 km. Somente em 1905 as obras foram retomadas, e em abril de 1909, a estrada chegou finalmente a Itararé. Sempre crescendo em importância por causa de sua ligação com o sul, o ramal passou a sair da estação nova de Santo Antonio - hoje Iperó - em 1928, aproveitando as obras de retificação e duplicação da linha-tronco, diminuindo o trecho em 23 km. Em 1951, a linha foi eletrificada até Morro do Alto. Em 1960, até Itapetininga e não passou daí. Em 1978, o tráfego de passageiros no ramal foi extinto. Em 1973 foi construído, de Itapeva, um ramal para Apiaí, e desse, outro para Pinhalzinho, que encontrava a nova linha que vinha da região de Curitiba. O trecho a partir de Itapeva acabou desativado depois que o trecho paranaense até Jaguariaíva foi suprimido, nos anos 90. Entretanto, em 22/12/1997, o trem de passageiros, voltou a funcionar, desta vez entre Sorocaba e Apiaí. O trem, com algumas interrupções, funcionou até fevereiro de 2001. O trecho entre Itapeva e Itararé teve os trilhos arrancados em 2001. Hoje, apenas as estações de Tatuí, Itapetininga e Buri ainda funcionam para carga de mercadorias, sob a administração da ALL.
 
A ESTAÇÃO: Inaugurada como posto km 372 em 1927, no mesmo ano teve seu nome alterado para Taquari. Em 11/11/1935, ganhou o nome definitivo, Alfredo Nunes. Em 1939, foi entregue um novo prédio. A estação foi demolida nos anos 80. É a primeira das estações situadas no trecho atualmente abandonado do ramal de Itararé. Não há registros fotográficos da estação, nem pude chegar ao local original da mesma.
(Fontes: André Luiz de Lima; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1900-70; IBGE, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Não há mais leito, nem estação, nem mesmo plataforma: onde um dia foi a estação de Alfredo Nunes, só o mato. Foto André Luís de Lima, em 2004
   
     
     
Atualização: 12.10.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.