A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Ponta da Areia
Campo de Viação
...
Saída para o ramal de Caravelas: Caravelas
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Bahia-Minas (1891-1912)
Chemins de Fer Federaux de l'Est Bresilien (1912-1936)
E. F. Bahia-Minas (1936-1965)
Viação Férrea Centro-Oeste (1965-1966)
PONTA DA AREIA
Município de Caravelas, BA
E. F. Bahia-Minas - km 0 (1960)   BA-0199
Altitude: 3 m   Inauguração: 1881
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1881 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Bahia a Minas começou a ser aberta em 1881, ligando finalmente Caravelas, no litoral baiano, à serra de Aimorés, na divisa com Minas Gerais, um ano depois. Somente em 1898 a ferrovia chegaria a Teófilo Otoni, e em 1918, a Ladainha. Em 1930 atingiu Schnoor. Em 1941, chegou a Alfredo Graça, e, em 1942, chegou em Arassuaí, seu ponto final definitivo. A ferrovia originalmente pertencia à Provincia da Bahia; em 1897 passou a ser propriedade do Estado de Minas Gerais, para, em 1912, passar a ser administrada pelos franceses da Chemins de Fer Federaux de L'Est Brésilien até 1936, retornando nesse ano a ser uma ferrovia isolada. Em 1965, foi encampada pela V. F. Centro-Oeste e finalmente extinta em 1966. Embora tenha havido planos para a união da ferrovia com a Vitória-Minas, tal nunca ocorreu e ela permaneceu isolada.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi inaugurada em 1881 (ou 9/11/1982, segundo o Guia Geral de Estradas de Ferro doi Brasil de 1960). Ficava na localidade de Ponta da Areia, aparentemente criada para ser o km zero da ferrovia. Em 1881, inauguraram-se os primeiros 500 metros da ferrovia a partir dessa estação, num gesto simbólico. Somente em 09.11.1882 é que a ferrovia começou a operar, chegando à serra dos Aimorés. Em 1893... "Só há um trem obrigatório por semana, o qual parte da estação de Caravelas (Ponta de Areia) às 6 horas da manhã, nos domingos, e chega a Urucu às 6 horas da tarde. Volta de Urucu às 6 horas da manhã, nas segundas-feiras, e chega a Caravelas às 6 horas da tarde. Os trens de cargas são em dias indeterminados, de acordo com as necessidades do tráfego; partindo quase sempre depois da chegada dos vapores ao porto de Caravelas" (Pedro Versiani: Relatório do engenheiro fiscal da Estrada de Ferro Bahia e Minas, 1893). Já em 1908... "Devido a sérios distúrbios havidos em maio findo em Ponta da Areia, sede da estação inicial, do escritório central, das oficinas e mais dependencias desta Estrada, e no qual esteve envolvido quase todo o seu pessoal, não houve no ano findo (1908) a devida regularidade no tráfego desta estrada". (Mensagem apresentada a Assemblea Geral Legislativa do Estado da Bahia na abertura da 1a Sessão Ordinaria da 10a Legislatura pelo Dr. João Ferreira de Araujo Pinho, Governador da Bahia, 1909). O que teria havido? Uma revolta? Por qual motivo? As condições da estrada não eram boas: no mesmo relatório, havia reclamações do engenheiro fiscal quanto ao estado dos trilhos,

ACIMA: Percurso da Bahia-Minas no município de Caravelas, onde começava a linha. A estação de Ponta da Areia está no estuário do rio Peruípe, a leste (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume VI, IBGE, 1958).
"estragados pelo uso de 25 anos". A estação, até os anos 1940, chamava-se Central. Somente nessa época é que teve o nome alterado para o da localidade. "De Caravela para Ponta de Areia, costumavam ir pessoas e cargas pequenas, como peixe. Lá, ancoravam navios que eram carregados com madeira bruta, que vinha de Aimorés, Argolo e Artur Castilho. Aquilo era tudo mataria. O Areriacararí era um navio de dois ou três porões, que saía pendendo de madeira. Tinha as pitombas, lugares que eram enchidos com madeira bruta. Em cada balcão daqueles, trabalhava-se com pranchas dia e noite, descarregando. Havia uma pessoa que ia emendando as toras em cordas, para embarcar nos navios" (Oronilides de Oliveira, ex-telegrafista da Baiminas). A estação foi fechada em 1966, com o fim das atividades da ferrovia. "Uma semana antes do carnaval de 1980 estive em Ponta de Areia para conhecer a estação. Infelizmente

ACIMA: O que sobrou das oficinas de Ponta da Areia, em fevereiro de 1980. ABAIXO: Ainda as oficinas, à esquerda, e, à direita, o pouco que sobrou do antigo pier (Fotos Carlos Augusto Leite Pereira).

só havia ruínas. Segundo um funcionário da Aeronáutica que trabalhava na Base de Caravelas, e que tinha sido funcionário da E. F. Bahia-Minas, e transferido para a Aeronáutica após a extinção da ferrovia, o prefeito de Caravelas, do PMDB, queria fazer uma praça onde ficava o terminal de Ponta de Areia. Com medo do tombamento da estação por causa da música do Milton Nascimento, o prefeito autorizou a população a retirar todo material de construção que quizesse do prédio principal da estação. Assim tudo foi retirado. Fotografei o que sobrou: as ruínas da estação, do pier, das oficinas e a caixa d'agua
" (Carlos Augusto Leite Pereira, 11/2007). "Ponta de areia, ponto final / da Bahia Minas, estrada natural / Que ligava Minas ao porto, / ao mar, / caminho de ferro / mandaram arrancar / Velho maquinista com seu boné / lembra o povo alegre / que vinha cortejar / Maria-fumaça não canta mais, / para moças flores, / janelas e quintais / Na praça vazia um grito, um ai, / casas esquecidas, / viúvas nos portais" (Ponta de Areia - Milton Nascimento e Fernando Brant).
(Fontes: Carlos Augusto Leite Pereira; Carlos Ralile; Oronilides de Oliveira; Pedro Versiani: Relatório do engenheiro fiscal da Estrada de Ferro Bahia e Minas, 1893; Mensagem apresentada a Assemblea Geral Legislativa do Estado da Bahia na abertura da 1a Sessão Ordinaria da 10a Legislatura pelo Dr. João Ferreira de Araujo Pinho, Governador da Bahia, 1909; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação da Ponta da Areia, inteira. Autor desconhecido; data ignorada

Demolição da estação. Acervo Carlos Ralile

Ruínas da estação de Ponta da Areia, em fevereiro de 1980. Foto Carlos Augusto Leite Pereira


Ruínas da estação de Ponta da Areia, ainda com a plataforma, em fevereiro de 1980. Foto Carlos Augusto Leite Pereira

A caixa d'água da estação de Ponta da Areia, em fevereiro de 1980. Foto Carlos Augusto Leite Pereira

Ruínas da estação de Ponta da Areia, em fevereiro de 1980. Foto Carlos Augusto Leite Pereira
     
Atualização: 05.07.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.