A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Muriti
Crato
...

Linha-tronco - 1950
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Rede de Viação Cearense (1926-1975)
RFFSA (1975-1997)
CRATO
Município de Crato, CE
Linha-tronco - km 600,633 (1960)   CE-3145
Altitude: 421 m   Inauguração: 09.11.1926
Uso atual: Centro Cultural do Araripe (2009)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1926
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco, ou linha Sul, da Rede de Viação Cearense surgiu com a linha da Estrada de Ferro de Baturité, aberta em seu primeiro trecho em 1872 a partir de Fortaleza e prolongada nos anos seguintes. Quando a ferrovia estava na atual Acopiara, em 1909, a linha foi juntada com a E. F. de Sobral para se criar a Rede de Viação Cearense, imediatamente arrendada à South American Railway. Em 1915, a RVC passa à administração federal. A linha chega ao seu ponto máximo em 1926, atingindo a cidade do Crato, no sul do Ceará. Em 1957 passa a ser uma das subsidiárias formadoras da RFFSA e em 1975 é absorvida operacionalmente por esta. Em 1996 é arrendada juntamente com a malha ferroviária do Nordeste à Cia. Ferroviária do Nordeste (RFN). Trens de passageiros percorreram a linha Sul supostamente até os anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação do Crato foi inaugurada em 1926 já no prédio atual, com a presença do Padre Cícero e a chegada do primeiro trem foi o marco de desenvolvimento para o Cariri. Era ali a

estação terminal da linha que foi um prolongamento da antiga Estrada de Ferro de Baturité, que começou a operar perto de Fortaleza no longínquo ano de 1873. O prédio tem um valor histórico inestimável para a cidade, que em 2003 propôs a compra do patrimônio, iniciando as negociações para a compra do conjunto da RFFSA. Este conjunto incorpora os prédios da estação e do armazém e toda área da faixa de domínio da via férrea, inclusive o amplo terreno ao lado da estação (onde estavam sendo realizadas festas populares) e o parque de manobras. A RFFSA ficaria somente com a linha. Os trens já não passavam por ali há muito anos. A Prefeitura teria de negociar com os ocupantes dos prédios e dos terrenos a sua retirada para outro local. Na área de manobras, famílias de sem-teto construíram casas de taipa. Este era um dos pontos que a Prefeitura teria que resolver antes de










AO LADO: Inauguração festive, com a presença do Padre Cícero, da estação do Crato em 1926 (A União, 28/11/1926).

ACIMA (CLIQUE PARA AMPLIAR): Linha do VLT entre Juazeiro do Norte e Crato, inaugurada em dezembro de 2009 utilizando-se do mesmo leito e linha da antiga RVC. Notar que uma nova parada foi aberta em setembro de 2010 com o nome de Fátima e que está fora do percurso original entre as duas estações centrais, tendo sido aberta alguns quilômetros antes (ver figura acima, primeira parada à direita) (Do site www.ceara.gov.br).
realizar qualquer projeto urbanístico de preservação de uma grande avenida de quase um quilômetro com 50 metros de largura, que iria do centro da cidade até o viaduto na duplicação da pista Crato-Juazeiro. Porém, com a construção e já operação desde dezembro de 2009 do chamado metrô do Cariri, entre as estações ferroviárias do Crato e do Juazeiro, a linha e o leito foram recuperados para uso desse VLT.
(Fontes: Gilvânia Oliveira; Sydney Correa; João Carlos Reis Pinto; Itamar Lima; www.ceara.gov.br;A União, 1926; Jornal local do Crato, nome não divulgado, 2003; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação do Crato, anos 1930. Autor desconhecido

A estação em 2002. Foto João Carlos Reis Pinto

A estação em 2002, lado da plataforma. Foto João Carlos Reis Pinto

A estação do Crato em 2003. Autor desconhecido

A estação em 2005. Foto Itamar Lima

A estação em 11/2009. Foto Gilvânia Oliveira
     
Atualização: 12.10.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.