A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Agente Cícero
Engenheiro Trindade
Engenheiro Goulart
...

variante de Poá - 1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2010
...

 
E. F. Central do Brasil (1934-1975)
RFFSA (1975-1983)
CBTU (1983-1992)
CPTM (1992-1999)
ENGENHEIRO TRINDADE
Município de São Paulo, SP
Variante de Poá - km 494,695 (1928)   SP-0333
Altitude: 731 m   Inauguração: 01.01.1934
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1934
 
 
HISTORICO DA LINHA: A variante de Poá, também chamada de variante de Calmon Viana, teve a construção iniciada em 1921, mas a linha foi aberta somente em 1/1/1934, depois de uma interrupção de oito anos nas obras. Ela tinha um traçado mais suave em termos de curvas e aclives quando comparada com a linha original que seguia de Poá ao Tatuapé, no ramal de São Paulo, daí sua construção. Começava na estação de Calmon Viana e terminava na Quinta Parada (Eng. Gualberto) do ramal de São Paulo. Com o tempo, foi se transformando em linha de trens de subúrbio, os trens metropolitanos de hoje, e é uma das linhas mais movimentadas da CPTM em São Paulo, embora com os piores trens.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Engenheiro Trindade foi inaugurada quando a linha começou a operar, em 1934, ao contrário das outras estações, que haviam sido inauguradas oito anos antes e permaneceram abandonadas. O prédio original é o mesmo de 1999, apenas a plataforma fora ampliada em 1973. Em 1999, a estação foi desativada pela CPTM, depois de oito depredações seguidas em onze meses. Foi abandonada, depredada e finalmente demolida. Havia um projeto para se construir outra estação em 1992, que, por algum motivo, não foi executado (veja nesta página, mais abaixo). "Em 22 de janeiro de 2007 estive na extinta estação Engenheiro Trindade. As extremidades das escadarias de aço foram cortadas a maçarico: permanece a passarela, porém sem nenhum acesso devido à remoção das escadarias, o beco que dava acesso à escadaria principal foi fechado com um muro e a bilheteria, a cobertura e metade da plataforma já foram demolidos" (Erick Tamberg, 02/2007).
ACIMA: Projeto de construção de uma nova estação para Engenheiro Trindade, de 1992. Hunca foi executado (CBTU).


























À ESQUERDA: Quebra-quebra na estação e em trens que nela estavam em 1959 (Folha da Manhã, 27/11/1959).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Corte; Gutierrez L. Coelho; Alex Ibrahim; Luiz Rafael; Erick Tamberg; CBTU; Folha da Manhã, 1958/1959; O Estado de S. Paulo, 1999; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Na plataforma de Engenheiro Trindade, seguranças conversam, após a depredação em fevereiro de 1999. Foto de O Estado de S. Paulo

Em 12/2001, o acesso fechado, a estação depredada. Foto Ricardo Corte

Em 13/04/2002, as ruínas da estação de Engenheiro Trindade. Foto Luiz Rafael

Plataformas da estação ainda de pé em 2006. Foto Alex Ibrahim

A escada terminando em nada e os tijolos da demolição ainda existem em 07/2007. Foto Erick Tamberg
     
Atualização: 17.05.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.