A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Agente Cícero
Engenheiro Trindade
Engenheiro Goulart
...

variante de Poá - 1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2010
...

 
E. F. Central do Brasil (1934-1975)
RFFSA (1975-1983)
CBTU (1983-1992)
CPTM (1992-1999)
ENGENHEIRO TRINDADE
Município de São Paulo, SP
Variante de Poá - km 494,695 (1928)   SP-0333
Altitude: 731 m   Inauguração: 01.01.1934
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1934
 
 
HISTORICO DA LINHA: A variante de Poá, também chamada de variante de Calmon Viana, teve a construção iniciada em 1921, mas a linha foi aberta somente em 1/5/1934, depois de uma interrupção de oito anos nas obras. Ela tinha um traçado mais suave em termos de curvas e aclives quando comparada com a linha original que seguia de Poá ao Tatuapé, no ramal de São Paulo, daí sua construção. Começava na estação de Calmon Viana e terminava na Quinta Parada (Eng. Gualberto) do ramal de São Paulo. Com o tempo, foi se transformando em linha de trens de subúrbio, os trens metropolitanos de hoje, e é uma das linhas mais movimentadas da CPTM em São Paulo, embora com os piores trens.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Engenheiro Trindade foi inaugurada quando a linha começou a operar, em 1934, ao contrário das outras estações, que haviam sido inauguradas oito anos antes e permaneceram abandonadas. O prédio original é o mesmo de 1999, apenas a plataforma fora ampliada em 1973.

Havia um projeto para se construir outra estação em 1992, que, por algum motivo, não foi executado (veja nesta página, mais abaixo).

Em 1999, a estação foi desativada pela CPTM, depois de oito depredações seguidas em onze meses.

Foi abandonada, depredada e finalmente demolida.

"Em 22 de janeiro de 2007 estive na extinta estação Engenheiro Trindade. As extremidades das escadarias de aço foram cortadas a maçarico: permanece a passarela, porém sem nenhum acesso devido à remoção das escadarias, o beco que dava acesso à escadaria principal foi fechado com um muro e a bilheteria, a cobertura e metade da plataforma já foram demolidos" (Erick Tamberg, 02/2007).


ACIMA: Projeto de construção de uma nova estação para Engenheiro Trindade, de 1992. Nunca foi executado (CBTU).

























1959
À ESQUERDA: Quebra-quebra na estação e em trens que nela estavam em 1959 (Folha da Manhã, 27/11/1959).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Corte; Gutierrez L. Coelho; Alex Ibrahim; Luiz Rafael; Erick Tamberg; CBTU; Folha da Manhã, 1958/1959; O Estado de S. Paulo, 1999; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Na plataforma de Engenheiro Trindade, seguranças conversam, após a depredação em fevereiro de 1999. Foto de O Estado de S. Paulo

Em 12/2001, o acesso fechado, a estação depredada. Foto Ricardo Corte

Em 13/04/2002, as ruínas da estação de Engenheiro Trindade. Foto Luiz Rafael

Plataformas da estação ainda de pé em 2006. Foto Alex Ibrahim

A escada terminando em nada e os tijolos da demolição ainda existem em 07/2007. Foto Erick Tamberg
     
Atualização: 06.06.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.