A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Até 1970:
Doutor Sá Fortes
Barbacena
Sanatório
...
A partir de 1970:
Doutor Sá Fortes
Barbacena
Dorival Brito
...

Linha do Centro - 1931
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2006
...
 
E. F. Dom Pedro II (1880-1889)
E. F. Central do Brasil (1889-1975)
RFFSA (1975-1996)
BARBACENA
Município de Barbacena, MG (Veja a cidade)
Linha do Centro - km 378,236 (1928)   MG-0373
Altitude: 1.135 m   Inauguração: 27.06.1880
Uso atual: espaço de recreação da Prefeitura (2006)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1931
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: O Eng. Henrique Dumont, pai de Santos Dumont, foi empreiteiro na construção do trecho João Ayres-Barbacena.

A estação ferroviária original foi inaugurada em 27 de junho de 1880, sob a administração do Eng. Herculano Veloso Ferreira Pena, tendo sido demolida quando, em 15/11/1931, foi inaugurada a atual estação, construída pela firma Dolabela, Portela & Cia.

Daqui saía, desde 1910, um dos entroncamentos da linha do Paraopeba, da antiga E. F. Oeste de Minas, que, embora até 1931 possuísse sua própria estação, a partir daí passou a dividir a nova estação da Central. Esse ramal tinha a bitola de 0,76 m e parte dele encontra-se em operação até hoje, entre Tiradentes e São João D'El Rey, para fins turísticos. Parou de funcionar (a partir de Barbacena) em 1966.

Os trens de passageiros da RFFSA não passam por Barbacena desde o fim do lendário Vera Cruz, em 1991.

(Veja também BARBACENA-EFOM)


ACIMA: Noticia da inauguração da estação de Barbacena em 1880, nos dias 26 e 30 de junho desse ano - CLIQUE SOBRE ELA PARA VÊ-LA INTEIRA (Gazeta de Notícias). ABAIXO: Estação de Barbacena - sem data (Autor desconhecido).

AO LADO: Acidente na estação em 1939 (O Estado de S. Paulo, 1939).
ACIMA: A estação de Barbacena, a original, em 1881 (Colecção de 44 vistas photográphicas da Estrada de Ferro Pedro 2º, 1881). ABAIXO: Hora de trocar - a construção da estação nova tendo ainda a antiga funcionando à sua frente (Autor desconhecido - data provável: 1930).

Segundo o Jornal Cidade de Barbacena, de 31 de julho de 1898, havia uma ligação da Estação Ferroviária até o Hotel Americano - local onde hoje se encontra o supermercado Sales, próximo à Policlínica Maternidade - feita por bondinhos puxados a mulas, seguindo depois pela Rua 7 de Setembro.

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1880 a 1979. Pode ter havido paradas até os anos 1980, mas não encontrei dados. Veja aqui horários em 1948, quando 8 trens diários paravam na estação (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Jorge A. Ferreira; Daniel Guimarães; José E. Buzelin; Alexandre Linhares Giesbrecht; Bruno Campos; Cláudio Luiz Nascimento Bomfim; O Estado de S. Paulo, 1939; Colecção de 44 vistas photográphicas da Estrada de Ferro Pedro 2º, 1881; Gazeta de Noticias, 1880; Cidade de Barbacena, 1898; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; Guias Levi, 1932-80; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação original de Barbacena, sem data. Cartão postal

A estação de Barbacena, em 03/2001. Foto Jorge A. Ferreira

A estação de Barbacena, em 03/2001. Foto Daniel Guimarães

Entrada da estação, em 03/2001. Foto Jorge A. Ferreira

A estação de Barbacena, em 03/2001. Foto Jorge A. Ferreira

Locomotiva U6B na estação de Barbacena, em 03/2001. Foto Daniel Guimaraes

O trem da MRS passa pela abandonada plataforma de Barbacena, em 01/2004. Foto Bruno Campos

Fachada da estação, em 02/2004. Foto Alexandre Linhares Giesbrecht

Placa da estação suspensa na cobertura ao lado norte do prédio da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht em 9/12/2006

Emblemas sobre a porta da fachada da EFCB e da EFOM. Foto Ralph M. Giesbrecht em 9/12/2006

Atual escritório da MRS, ao lado da estação, sentido norte. Foto Ralph M. Giesbrecht em 9/12/2006

Plataformas da estação vistas no sentido sul. Foto Ralph M. Giesbrecht em 9/12/2006
     
Atualização: 01.06.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.