A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Engenheiro Pedreira
Japeri
Guedes da Costa
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Dom Pedro II (1860-1889)
E. F. Central do Brasil (1889-1975)
RFFSA (1975-1997)
Supervia (1997-)

JAPERI
- LINHA DO CENTRO (antiga BELÉM)
Município de Japeri, RJ
Linha do Centro - km 61,749 (1928)   RJ-1379
Altitude: 30 m   Inauguração: 08.11.1860
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra do Piraí havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul os trens de passageiros sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Belém foi inaugurada em 1860, às margens da Estrada do Presidente Pedreira, localização que constava, no decreto 4373 de 20 de maio de 1869, ou seja, 9 anos depois da abertura da estação. Foi o ponto terminal do segundo trecho inaugurado pela E. F. Dom Pedro II - o primeiro foi até Queimados, em 1858.

"Na estação de Belem a plataforma não é coberta" (Relatório apresentado a S. Ex. o Sr. Conselheiro Joaquim Antão Fernandes Leão, Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Agricultura, Commercio e Obras Públicas, pelo Conselheiro Manoel da Cunha Galvão, em 29/10/1868).

A partir de 1898, passou a ser também estação da E. F. Melhoramentos, que vinha também do centro do Rio de Janeiro (da estação Alfredo Maia) e seguia, sempre com bitola métrica, para Porto Novo, também galgando a serra do Mar. A Central do Brasil acabou por incorporar essa linha em 1903, alterando seu nome para Linha Auxiliar.

"(...) depois a rodaria da locomotiva até Belém. Aí uma baldeação incômoda por afluência de passageiros, alguns aliviados de dinheiro por gatunos, muitos condenados a viajar de cegonha, num pé e noutro. Novo trem, nova máquina, nova linha, não nova, a da antiga Estrada de Ferro Melhoramentos. A Central chamou-a a si e, para mostrar superioridade, crismou, denominando-a Linha Auxiliar" (Revista Eu Sei Tudo, fevereiro de 1930). Na viagem relatada, o passageiro veio da estação Dom Pedro II até Belém pela linha principal, baldeando na estação apra a Linha Auxiliar.

Era praticamente a primeira parada do trem para São Paulo ou Belo Horizonte, depois de sair do Rio de Janeiro, sendo que em algumas épocas havia paradas intermediárias, como em Cascadura, Deodoro ou Nova Iguaçu.

Nos anos 1940 a estação alterou seu nome para Japeri.

Mais tarde, passou a ser ali o ponto de partida do trem Barrinha, que transportava passageiros e a produção agrícola da serra para Barra do Piraí, extinto em 1996 depois de um grande desastre com vítimas.

Por ocasião do lançamento dos selos em homenagem às estações Luz, Japeri e São João Del Rei, a revista Ferrovia de julho e agosto de 1984, publicou o seguinte texto sobre a estação
Japeri: "O prédio no mesmo estilo das construções usadas no norte da Europa, foi construído na técnica enxaimel, que consiste em estacas ou caibros de madeira constituindo um engradado destinado a receber a vedação de alvenaria de tijolo maciço. O telhado, em telhas francesas originais, é formado de três elementos: o primeiro cobrindo o corpo principal do prédio; os outros dois, em quatro águas com mansardas cobrindo os dois pavimentos superiores que formam os corpos laterais. Os elementos decorativos das fachadas são compostos pela própria estrutura de madeira formando desenhos geométricos, pelas mãos francesas e pelos apliques em madeira recortada" (Jorge Alves Ferreira, 2003).

"Não tinha lugar nos bancos mas por sorte achei um espaço pra sentar no chão próximo a uma das portas. A viagem que em média dura 1 hora e meia, levou duas horas. Cheguei na estação de Japeri por volta das 8 da noite. Parei num quiosque que fica dentro da estação. Conheço o pessoal de lá de outras vezes que fui a Serra do Mar. Estava com fome e queria poupar meu estoque de suprimentos para a caminhada propriamente dita. Comi um salgado de frango (eu acho) e um refrigerante. Comentava com o dono do quiosque sobre meus planos (de subir a Serra do Mar pelos trilhos à noite)" (Carlos Latuff, 24/08/2003).

A verdade é que, em 2009, o velho prédio estava abandonado e, pior, cheio de cupins; os bilhetes são vendidos em local diferente na plataforma. O prédio da antiga estação, enfim, é apenas uma velha fantasia.

(Veja também JAPERI-LINHA AUXILIAR)

AO LADO: Acidente a 3 km da estação de Belem em 1939 (O Estado de S. Paulo, 9/2/1939).

AO LADO: Acidente a 3 km da estação de Belem em 1939 (O Estado de S. Paulo, 23/2/1939)

AO LADO: Acidente com ferido grave em Belem em 1939 (O Estado de S. Paulo, 27/5/1939)

TRENS - Os trens de passageiros param nesta estação desde 1858 até hoje. Ao lado, o trem Barrinha, que fazia o percurso Japeri-Barra do Piraí até 1996. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 19xx. Paravam também trens Rio-SP, Rio-BH e, hoje, os subúrbios Pedro II-Japeri. (Guias Levi).
(Fontes: Julio Cesar da Silva; Cleiton Pieruccini; R. J. Marsh; Manoel Monachesi; Jorge A.
Ferreira; Carlos Latuff; O Estado de S. Paulo, 1939; Eduardo Gonçalves David: EFCB - A Ferrovia e Sua História, AENFER, 1998; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; revista Eu Sei Tudo, 1930; revista Ferrovia, 1984; Relatório apresentado a S. Ex. o Sr. Conselheiro Joaquim Antão Fernandes Leão, Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Agricultura, Commercio e Obras Públicas, pelo Conselheiro Manoel da Cunha Galvão, 1868; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Japeri em 1928. Foto extraída do livro EFCB - A Ferrovia e Sua História - Coleção AENFER - 1998 de Eduardo Gonçalves David

A estação de Japeri, Linha Auxiliar, em 1928. Foto Max Vasconcellos

Estação de Japeri, Linha Auxiliar, em 1976. Foto R. J. Marsh

A estação nos anos 1990. Foto cedida por Manoel Monachesi e Jorge Ferreira

A velha estação abandonada em 04/2009. Foto Cleiton Pieruccini

A atual estação de Japeri em 2009, ao lado da antiga, onde se embarca e se compram bilhetes. Foto Cleiton Pieruccini
     
Atualização: 29.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.