A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Francisco Sá
Triagem
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Rio de Ouro (1922-1928)
E. F. Central do Brasil (1928-1975)
RFFSA (1975-1996)
FRANCISCO SÁ
Município de Rio de Janeiro, RJ
E. F. Rio de Ouro (tronco) - km 0   RJ-0637
Altitude: 2 m   Inauguração: 06.01.1922
Uso atual: demolida em 2013   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1922
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Rio do Ouro foi construída para construir e cuidar dos reservatórios e do abastecimento de parte da cidade do Rio de Janeiro e foi aberta ao tráfego de passageiros em 1883. Inicialmente saía do Caju e mais tarde (1922) passou a ter como início a estação de Francisco Sá. Depois dessa mudança o seu curso inicial foi alterado e ela passou a acompanhar de muito próximo a linha Auxiliar até a estação de Del Castilho, quando se separavam as linhas. Na estação da Pavuna elas voltavam a se encontrar. O trecho final, até Belford Roxo, era compartilhado com os trens metropolitanos da Auxiliar (depois da Leopoldina) em bitola mista. Em 1970 os trens da Rio de Ouro, ainda a vapor, embora tenham sido feito testes com locomotivas diesel, deixaram de circular. A Rio de Ouro, encampada pela Central do Brasil nos anos 1920, tinha vários ramais e três deles sobreviveram como trens de subúrbio até a mesma época da desativação da linha-tronco: os ramais de Xerém, do Tinguá e de São Pedro (Jaceruba). Parte de sua linha-tronco foi utilizada na construção da linha 2 do metrô do Rio de Janeiro.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Francisco Sá foi aberta em 1922 pela E. F. Rio de Ouro para substituir o ponto inicial da ferrovia que estava no Caju desde 1883.

"A nova estação permitiu o melhor acesso ao centro da cidade, que refletiu no aumento da ocupação dos bairros ao longo da linha e no aumento do número de passageiros transportados, passando de 306.300 em 1921 para 1.602.500 em 1926" (Marcelo Almirante).

Estando próxima
aos pátios de Barão de Mauá e de Alfredo Maia, pontos de saída da Leopoldina e da Linha Auxiliar, serviu como alternativa a elas em várias ocasiões.

Veja aqui planos para a estação nos anos 1940
.

Funcionou até os anos 1970, mesmo depois da extinção da linha da antiga Rio de Ouro. Depois de anos abandonada, ainda perto dos trilhos, foi demolida em março de 2013.


À ESQUERDA:
O Ministro Francisco Sá (Revista da Semana, 18/11/1922).
ACIMA: Desembarque em Francisco Sá, 1934 (Foto Noite Ilustrada, 1934).
ACIMA: Pátio de Francisco Sá, 1982 (Foto Hugo Caramuru).

ACIMA: No meio do matagal em que se transformou boa parte do pátio da estação de Francisco Sá, um antigo carro de passageiros parece um fantasma tentando fazer mais viagens (Foto Julio Cesar Silva, abril de 2009).


(Fontes: Daniel Gentili; Thiago Montoya; Fábio, Rio de Janeiro; Orlando de Barros Barbosa; Marcelo Almirante; Julio Cesar Silva; Correio da Manhã, 1951; Folha da Manhã; Revista da Semana, 1922; Noite Ilustrada, 1934; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928)
     

A estação de Francisco Sá em reforma, 1951. Correio da Manhã

A estação de Francisco Sá em reforma, 1951. Correio da Manhã

A estação de Francisco Sá em reforma, 1951. Correio da Manhã

A estação abandonada, em 09/2003. Foto Fábio, Rio de Janeiro, RJ

A estação abandonada, em 09/2003. Foto Fábio, Rio de Janeiro, RJ

A estação abandonada, em 09/2003. Note a cobertura da plataforma no alto. Foto Fábio, Rio de Janeiro, RJ

A estação abandonada, em 09/2003. Foto Fábio, Rio de Janeiro, RJ

Plataformas da estação em 04/2009. Foto Julio Cesar Silva

Plataformas da estação em 04/2009. Foto Julio Cesar Silva
     
Atualização: 27.06.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.