A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Linha da E. F. Goiaz
RMV - Linha-tronco
...
(1913-42):
Soldado Ferrugem
Goiandira-original
Coronel Pirineus
...
ramal de Ouvidor (1942-1978):
Soldado Ferrugem
Goiandira-original
Catalão-EFG
...
ramal de Catalão (1978-2010):
Pirapitinga
Goiandira-original
Catalão-EFG
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Goiaz (1913-1920)
E. F. Oeste de Minas (1920-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1942)
GOIANDIRA (ORIGINAL)
Município de Goiandira, GO
Linha-tronco (EFG) - km 90,000 (1960)
  GO-4448
Altitude: 813 m   Inauguração: 24.02.1913
Uso atual: centro cultural (2011)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1913
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da E. F. Goiaz foi aberta a partir de Araguari, onde já estavam os trilhos da Mogiana desde o ano de 1896, em seu primeiro trecho em 1911, até a ponte sobre o rio Paranaíba, na divisa entre os Estados de Minas Gerais e Goiás. A partir de então, foi aquela demora de sempre: avançando lentamente, atingiu Goiânia, capital do Estado de Goiás desde o início dos anos 1940, somente em 1950, e alguns anos mais tarde a linha foi prolongada em dois quilômetros até Campinas de Goiás. Aí parou. Com a entrada em operação da linha para Brasilia, a partir da estação de Roncador, o trecho até Goiânia perdeu em importância. Hoje boa parte da linha está em operação para trens cargueiros: trens de passageiros acabaram nos anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: Já existia uma estação em Goiandira desde o ano de 1913 na linha Araguari-Goiandira, da E. F. Goiaz.

Essa estação foi substituída por outra quando a linha da RMV chegou à cidade em 1942, mas continuou ao lado dos trilhos e ativa, pertencendo ao ramal e agora à RMV, que acabava ali. Por isso, foi construída uma nova estação para a E. F. Goiaz, na mesma época.

A linha da Rede Mineira agora era uma continuação do velho ramal de Ouvidor, que passou a se ligar com Monte Carmelo, antiga ponta de linha da RMV, ligando agora Goiandira a Angra dos Reis.

As datas oficiais de inauguração do trecho, entretanto, acusam 11/11/1942 para todas as estações deste trecho de união entre Monte Carmelo e a EFG. Já para o trecho Patrocínio-Monte Carmelo, a data seria 1937.

Parece que a inauguração descrita acima, em 1944, teria sido uma data política e teria ocorrido dezesseis meses após a festiva entrega da segunda parte do trecho citado.

A estação original de Goiandira, em 2010 em péssimo estado e abandonada, mas ainda de pé, continuava ao lado dos trilhos. A da RMV, aberta em 1942, está hoje no centro da cidade mas sem trilhos, abrigando repartições públicas.

A atual, aberta em 21 de abril de 1978 (a estação
nova fica no km 60,78 da variante, em relação à estação de Araguari-nova), depois da modificação do traçado a partir de Catalão e da entrega do ramal para Pires do Rio, está ali, fora da cidade, com seus trilhos e como estação da FCA.

Existe ali uma placa: "Trecho Goiandira-Pires do Rio - Construído pela Batalhão Ferroviário e inaugurado pelo Presidente Ernesto Geisel, em 28-07-1978". "Sobre as estações de Goiandira há muitas confusões, mas depois de muito investigar descobrimos algumas coisas: A antiga estação da Goyaz, de 1913 não foi desativada com a chegada da RMV em 1942/1944. Mas, por questões geográficas, a RMV construiu uma estação (em estilo modernista) para a EFG e ficou com o prédio antigo. Ambos os prédios funcionavam ao mesmo tempo, sendo relatado inclusive que, mesmo que os trilhos das duas companhias fossem interligados, os passageiros eram obrigados a descer numa estação, transpor um íngreme morro que as separam para chegar até a outra.

Relatam até que, numa dessas vezes, uma mulher grávida chegou a dar a luz nessa ladeira, no local onde se construiu uma maternidade, até hoje existente. Em 1978 (ou 21/04 ou 28/07) foi inaugurada uma terceira estação, à oeste das outras duas, construídas nos padrões do Batalhão Ferroviário e com uma plataforma de comprimento que hoje nos parece exagerado, porque a partir dela reuniam-se os trens de passageiros vindos de São Paulo sentido Brasília e Rio de Janeiro/Belo Horizonte sentido Brasília
" (Glaucio Henrique Chaves, 02/2009).

Em outubro de 2011, a estação original foi entregue restaurada pelo IPHAN e servindo como centro cultural, depois de um abandono de dezenas de anos.

Já a estação atual estava muito bem, obrigado, e a da RMV, a única sem trilhos, estava conservada.

(VEJA TAMBÉM GOIANDIRA-NOVA E GOIANDIRA-RMV)

"De Poços de Caldas escrevi-te, dando notícias. De lá saí domingo para Ribeirão Preto; 2ª dormi na Franca, ontem cheguei aqui (Araguari) (...). Desde a noite de Franca, não encontrando amigos nem conhecidos, arrastando-me em nuvens de poeira pelos chapadões tumulares, tenho sentido uma depressão difusa, uma tristeza aborrecida: não iria estuar-se este desconforto pelas terras goianas? Mas para não se dizer que cheguei a Araguari e não vi Goiás, consultei o horário. Posso sair às 6 horas, atravessar o Paranaíba, almoçar em Goiandira e estar de volta às 3 da tarde. É o que pretendo fazer amanhã (...). Cheguei ontem (ao Rio de Janeiro). Fui a Goiandira, terceira estação da estrada de ferro depois do Paranaíba, lá almocei; já não morro sem ver Goiás".
1914
AO LADO:
Duas cartas de Capistrano de Abreu a Pandiá Calógeras, a primeira de Araguari, em 25/2/1914, a segunda do Rio, sem data - certamente no início de março de 1914 - p. 388-389.

ACIMA: Estação de Goindira original em 1915 - CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA VÊ-LA MAIOR) (O Malho, 15/5/1915).

ACIMA: (CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR) As três estações ainda estão de pé (vide esquema anexo): a) a mais antiga (1913), originalmente EFG repassada à RMV encontra-se em precário estado de conservação. Nela ainda passam trens no sentido Catalão. Ainda tem a inscrição "Goyandira", tem bilheterias e coberturas em telhas planas de amianto imitando ardósia. b)a segunda, construída em 1942/1944 pela RMV para a EFG em estilo modernista, hoje está sem os trilhos e fica bem no centro da cidade. O belo prédio, que também precisa de manutenção, hoje é usado como repartição pública estadual, mas já foi até rodoviária. c) a mais nova, de 1978, hoje é usada pela FCA. Fica na borda oeste da cidade e, das três é a que está em melhor estado de conservação. Dela saem trens sentido Goiânia/Brasília; Araguari; Catalão (hoje ponta dos trilhos) (Glaucio H. Cunha, 02/2009).

(Fontes: Cleber Borges Rabelo; Glaucio Henrique Chaves; Filemon dos Santos Xavier; Fernando Picarelli; Rodrigo Cabredo; RMV: Relatório anual, 1944; Edmar Cesar Alves: Batalhão Mauá: Uma História de Grandes Feitos, Araguari, MG, 2003; José Honório Rodrigues: Correspondência de Capistrano de Abreu, 1954; IBGE, 1954; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

Estação original de Goiandira em 1992. Foto Rodrigo Cabredo

A estação original de Goiandira da E. F. Goiaz, de 1913, em foto de 02/2004. Foto Fernando Picarelli

A estação original em 1/2010, antes da reforma. Foto Glaucio H. Chaves

A estação restaurada em 2012. Autor desconhecido
 
     
Atualização: 11.02.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.