A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Ponte de Itabapoana
Apiacá
Iuru
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2008
...

 
E. F. Itabapoana (1916-c.1957)
APIACÁ (antiga ANTONIO CAETANO)
Município de Apiacá, ES
Ramal de Itabapoana - km 16 (1945)   ES-0036
    Inauguração: 06.1916
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Itabapoana começou a operar em 1916, ligando a estação de Itabapoana (Ponte de Itabapoana), na Linha do Litoral, a Bom Jesus de Itabapoana (Bom Jesus do Norte), costeando o rio do mesmo nome, na divisa do Espírito Santo com o Rio de Janeiro. Embora nunca tenha sido incorporado pela Leopoldina, era praticamente um ramal desta. Foi extinta no final dos anos 1950, e os trilhos, arrancados. Em 1951, a ferrovia estava desativada, mas não se sabe se voltou a funcionar por algum período antes de fechar de vez.
 
A ESTAÇÃO: O nome primitivo da estação era Antonio Caetano, mas o nome da cidade era diferente: Boa Vista. Era este o nome da fazenda que recebeu os trilhos da E. F. Itabapoana em 1916, que, partiam da estação de Ponte do Itabapoana, no que mais tarde viria a ser a linha do Litoral da E. F. Leopoldina. Por sua vez, Antonio Caetano foi o doador das terras para a construção da estação e para a capela de Sant'Ana. Logo no ano seguinte, o vilarejo, que cresceu rapidamente em volta da estação, já era distrito. Todo o café da região, que até então seguia para a estação de Santo Eduardo, estação que existia desde 1879 perto do rio Itabapoana mas em território fluminense, passou a ser embarcado na estação de Antonio Caetano. A partir dos anos 1940 tanto a cidade quanto a estação passaram a se chamar Apiacá. Em

Acima, um bilhete de passageiro de segunda classe no trecho Itabapoana-Apiacá, provavelmente anos 1940.
1951, a cidade se emancipou como município. Havia um grande armazém de café na ferrovia em Apiacá, restos do tempo em que a produção de café por ali, razão da existência da ferrovia, era grande. "Morei vários anos em Apiacá, uma estação antes de Jose Carlos, que na época chamavam de Iuru. Aliás, Apiacá se chamava Boa Vista. Quando era garoto com meus 7 anos por volta de 1961 ainda havia quase tudo da E. F. Itabapoana, exceto os trens. Até os postes e fios do telégrafo ainda havia, e eram de ferro e não de cobre. Os dormentes já estavam podres e brinquei muito de arrancar os grampos dos trilhos, que na época eram pregados, não aparafusados. Apiacá tinha uma estação bonita, de paredes grossas de pedra, parecida com essa, que um prefeito idiota como costumam ser os coronéis do interior, demoliu para levar o material para sua fazenda e construir um chafariz azulejado de extremo mau gosto no lugar. Trágico. Minha familia usou muito essa linha, que recebia os passageiros baldeados da Leopoldina em Ponte do Itabapoana e os levava até Bom Jesus do Norte passando por Boa Vista e Iuru, sempre em território do E. Santo. Acho que pouco depois de Iuru havia um ramal que atravessava o rio Itabapoana e ia até a usina de açucar de Santa Izabel. Bons tempos. Essa foi uma das primeiras estradas a morrer, por volta de 1955, num prenúncio do que se seguiria." (Eliezer P. Magliano, 10/2003) Moradores mais antigos da cidade dizem que na C. E. F. Itabapoana circulavam trens mistos pela manhã e à noite, além de um trem noturno às quartas-feiras, além dos trens de carga com café, gado e madeira.
     

O distrito em 1917. A estação está à esquerda. Foto do livro "Apiacá - A história de um povo e sua terra capixaba" de Pedro Teixeira, cedida por Eliezer Magliano

A estação de Antonio Caetano, provavelmente anos 1930. Foto do livro "Apiacá - A história de um povo e sua terra capixaba" de Pedro Teixeira, cedida por Eliezer Magliano

Ponte da estrada de ferro, ainda existente próxima a Apiacá. Foto Eliezer Magliano
 
     
Atualização: 04.02.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.