A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Morabi
Imbariê
Manoel Belo
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Príncipe do Grão Pará (1888-1890)
E. F. Leopoldina (1890-1975)
RFFSA (1975-1997)
Supervia (1997-)
IMBARIÊ
(antiga ESTRELA e JOAQUIM TÁVORA)
Município de Duque de Caxias, RJ
Linha do Norte - km 39,281 (1960)   RJ-3085
Altitude: 4 m   Inauguração: 04.1888
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que unia o centro do Rio de Janeiro a Petrópolis e Três Rios foi construída por empresas diferentes em tempos diferentes. Uma pequena parte dela é a mais antiga do Brasil, construída pelo Barão de Mauá em 1854 e que unia o porto de Mauá (Guia de Pacobaíba) à estação de Raiz da Serra (Vila Inhomerim). O trecho entre esta última e a estação de Piabetá foi incorporada pela E. F. Príncipe do Grão Pará, que construiu o prolongamento até Petrópolis e Areal entre os anos de 1883 e 1886. Finalmente a estação de Areal foi unida à de Três Rios em 1900, já pela Leopoldina. Finalmente, o trecho entre o a estação de São Francisco Xavier, na Central do Brasil, e Piabetá foi entregue entre 1886 e 1888 pela chamada E. F. Norte, que neste último ano foi comprada pela R. J. Northern Railway. Finalmente, em 1890, a linha toda passou para o controle da Leopoldina. Em 1926 a linha foi estendida finalmente até a estação de Barão de Mauá, aberta nesse ano, eliminando-se a baldeação em São Francisco Xavier. O trecho entre Vila Inhomerim e Três Rios foi suprimido em 5 de novembro de 1964. Segue operando para trens metropolitanos todo o trecho entre o centro do Rio de Janeiro e Vila Inhomerim.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Estrela foi aberta em 1888.

O nome teria sido mudado para Joaquim Távora em 1931 (ver box abaixo), mas esse nome já foi alterado para o atual, Imbariê, em 1943.

"Em Imbariê, Duque de Caxias, as plataformas do acanhado terminal são cobertas por mato, que também escondem a linha férrea" (O Dia, 5/6/2005).

Honor Pacheco
comenta que a data de inauguração (fornecida pelo Guia Geral de 1960) poderia estar equivocada: "Creio estar incorreta essa data, pois a localidade começou a se formar em 1926. No início chamava-se Parque Estrela e pertencia ao município de Nova Iguaçu. Somente mais tarde passou a ser o 3º Distrito de Duque de Caxias. O Diário Oficial de 09 de maio de 1928 oficializou a criação da primeira escola do lugar. Era a Escola Estadual nº 35 do Parque da Estrela. Sua primeira professora (que também era a diretora) morava na Raiz da Serra e se chamava Nair Teixeira de Paiva (1906-1996). Havia então no local, além da escola, umas poucas residências, uma padaria, um abraço, botequim, uma farmácia e um armazém. Não havia, ainda, a estação de trens e, por determinação do Ministro da Viação, os comboios da Companhia Estrada de Ferro Leopoldina Railway realizavam paradas especiais para o desembarque (pela manhã) e embarque (à tarde) da referida professora. Somente após as grandes obras de saneamento da baixada fluminense, iniciadas a partir de 1930 pelo governo estadual, o Parque da Estrela começou a se desenvolver".

Segundo Julio Cesar da Silva, quando Gramacho ainda era estação terminal dos trens metropolitanos (pois ali terminava então a eletrificação), a estação de Imbariê servia como pátio de cruzamento de trens.

Até pelo menos os anos 1950, os trens que serviam Imbariê não eram os mesmos que faziam o subúrbio da Leopoldina entre Barão de Mauá e Duque de Caxias; ela era atendida por trens, também de subúrbio (chamados então de "curto percurso") que faziam o percurso somente entre Duque de Caxias e Vila Inhomerim.

ACIMA: Em janeiro de 1931, a estação teve seu nome alterado para Joaquim Távora. O nome teria permanecido até 1943, quando o nome foi finalmente alterado para o atual, Imbariê (Foto: Revista Memória da Biblioteca Nacional, cessão Eduardo P. Moreira). ABAIXO: Anúncio oferecendo casas em loteamento próximo à estação em 1953 - CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA VER O ANUNCIO INTEIRO (Diario da Noite, 6/7/1953).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros param nesta estação desde sua abertura. Alguns horários registrados: (1948) 20:46 (P-17) chegando de Barão de Mauá; 6:45 (P-2) e 16:42 (P-14) vindo de Petrópolis. Existiam ainda nesse ano sete horários para o trem de subúrbios Barão de Mauá-Vila Inhomerim (Guias Levi). Os trens de subúrbios continuam parando em 2010 em diversos horários.

ACIMA: A simpática estação de Imbariê e seu pátio, em 28/1/2010. Reparar a segunda plataforma do outro lado das duas linhas, acessível pela rua à direita (Foto Julio Cesar da Silva). ABAIXO: Em 1961, o pátio da estação de ImbariÊ era um cemitério de locomotivas a vapor já fora de uso. Esta era a de número 1354 (Foto J. Souza, A Noite, 1961).
(Fontes: Julio Cesar da Silva; Eduardo Moreira; J. Souza; Carlos Latuff; Honor Pacheco; Angelo Tavares; A Noite, 1961; Diario da Noite, 6/7/1953; Revista Memória da Biblioteca Nacional, data desconhecida; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guia Levi, 1932-80; O Dia, 5/6/2005; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Imbariê, em 07/2007. Foto Carlos Latuff

Estação de Imbariê, em 07/2007. Foto Carlos Latuff
 
     
Atualização: 13.03.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.