A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Iporanga
Guararapes
Rubiácea
...

Tronco NOB - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1929-1975)
RFFSA (1975-1996)
GUARARAPES
Município de Guararapes, SP
Variante de Jupiá - km 28,145 (1937) Linha-tronco - km 294,841 (1960)   SP-1979
Altitude: 402 m   Inauguração: 06.08.1929
Uso atual: abandonadas (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1949
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até 13/1/1993, no trecho Bauru-Campo Grande e até 3/3/1995 no trecho até Corumbá, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste. Em 2016, a concessão é da Rumo.
 
A ESTAÇÃO: A cidade de Guararapes foi fundada com o nome de Frutal, e a estação teria sido inaugurada em 1928 com esse nome, antes da fundação da vila, ou em 1929, depois, dependendo da fonte consultada.

Com o nome atual, tornou-se município em 1937.

Inicialmente na variante de Jupiá, a estação passou a pertencer à linha-tronco em 1940. Na variante, foi ponta de linha por algum tempo.

Em 1949, a nova estação de Guararapes foi inaugurada, já na variante Araçatuba-Bento de Abreu. Porém, a linha nova ficou exatamente ao lado da antiga, e as duas estações ficaram frente a frente: velha e nova.

Ambas estavam totalmente abandonadas em novembro de 2016. As duas estações de Guararapes, velha e nova, transformaram-se em meros atalhos para atravessar os trilhos.

AO LADO: A cidade e estação de Guararapes em 1936 (O Estado de S. Paulo, 5/7/1936).



AO LADO: Em 1944, era contada a história da estação de Guararapes e suas fazendas (Mathias Arrudão, em O Estado de S. Paulo, 13/7/1944).

ACIMA e ABAIXO: Lamentaveis aspectos das estações de Guararapes-nova (acima) e Guararapes-velha (abaixo) em 1/11/2013 (Fotos Odilio Pereira de Queiroz Neto).
(Fontes: Silvio Rizzo; Odilio Pereira de Queiroz Neto; José H. Bellorio; Daniel Gentili; Fábio Vasconcellos; O Estado de S. Paulo, 1944; E. F. Noroeste: Relação oficial de estações, 1937; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Guararapes nos anos 1970. Cartão postal

Em 10/1979, a estação nova de Guararapes, à esquerda, tendo em frente a antiga, desativada em 1949. Foto José H. Bellorio

Fachada da estação nova de Guararapes, em 10/1979. Foto José H. Bellorio

O trem na estação de Guararapes. Outra vez a velha e a nova aparecem, em 07/1986. Foto José H. Bellorio

Estação velha de Guararapes, em 2001. Foto Fábio Vasconcellos

Estação nova de Guararapes, em 2001. Foto Fábio Vasconcellos

Estação velha de Guararapes, em 2001. Foto Fábio Vasconcellos

A estação nova em 23/5/2009. Foto Daniel Gentili

A estação velha em 23/5/2009. Foto Daniel Gentili

A estação "velha" em 1/11/2013. Foto Odilio Pereira de Queiroz Neto

A estação "nova" em 1/11/2013. Foto Odilio Pereira de Queiroz Neto
 
     
Atualização: 26.04.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.