A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Saguaragi
Ibirarema
Ceres
...

Tronco EFS - 1935

IBGE-1974
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Sorocabana Railway (1914-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
IBIRAREMA (antiga PAU D'ALHO)
Município de Ibirarema, SP
Linha-tronco - km 549,494 (1924); km 536,594 (1934); 488,661 (1960) (*)   SP-2032
Altitude: 464 m   Inauguração: 12.02.1914
Uso atual: centro cultural (2008)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 1940?
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: Aberta em 1914 como Pau D'Alho, deu origem ao futuro município.

A estação original foi substituída por outra mais moderna, provavelmente nos anos 1940.

Até 2001, a estação de Ibirarema, nome da estação a partir de 12 de junho de 1945 (Revista Nossa Estrada, no. 177, março de 1953), estava como muitas outras: suja, depredada e abandonada à própria sorte. Graças a um acordo, a Prefeitura da cidade a assumiu, junto com as demais construções e casas de ferroviários, transformando totalmente a área em uma nova opção de lazer e serviços na pequena cidade. Biblioteca, Casa de Congelados e órgãos Municipais variados ocuparam então o conjunto, numa clara demonstração de que há uma saída viável para nossas estações ameaçadas. Em 2008, no entanto, a conservação dos prédios já deixava a desejar.

ACIMA e ABAIXO: A estação original de Ibirarema, em fotos de 1944 (Cessão Clayton Marquezani Pereira).

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: Extensão dos desvios para 130 m; 1934 - Instalação de luz


ACIMA: A linha férrea, com os postes da eletrificação hoje inúteis, sai da cidade de Ibirarema no sentido São Paulo e logo depois praticamente encosta na rodovia Raposo Tavares, para imediatamente voltar ao mar de cana para seguir para Ourinhos (Foto Ralph M. Giesbrecht, 28/12/2010). ABAIXO: Uma das famosas locomotivas "francesas" que vieram para trafegar no trecho da ex-Mogiana eletrificada (Campinas-Casa Branca) em 1985 e que nunca chegaram a trafegar, exceto por algumas viagens de teste, como esta, feita na linha-tronco da então já ex-Sorocabana. Aqui ela posa em frente à estação de Ibirarema, por volta de 1986. Como se sabe, praticamente todas as aproximadamente vinte dessas locomotiva que chegaram importadas (exceto duas, que foram montadas) jazem apodrecendo em caixotes até hoje (foto Wagner Christiani).
(Fontes: Clayton Marquezani Pereira; Douglas Razzaboni; Fabio Vasconcelos; Nossa Estrada, 1953; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Casa da vila ferroviária, reformada e bela, em 27/07/2002. Foto Douglas Razaboni

A estação, reformada e bela, em 27/07/2002. Foto Douglas Razaboni

A estação, reformada e bela, em 27/07/2002. Foto Douglas Razaboni

A estação, reformada e bela, em 27/07/2002. Foto Douglas Razaboni

Casas da vila ferroviária, reformadas e belas, em 27/07/2002. Foto Douglas Razaboni

Fachada da estação de Ibirarema em junho de 2008. A conservação externa já deixa a desejar. Foto Fábio Vasconcelos

A estação em 2015. Cessão Clayton Marquezani Pereira
   
     
Atualização: 19.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.