A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Lussanvira
Ilha Seca
Timboré
...

mapa OESP-1928
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1910-1941)
ILHA SECA
Município de Pereira Barreto, SP
Linha-tronco original - km 403,480   SP-1540
Altitude: -   Inauguração: 13.05.1910
Uso atual: submersa   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já desaparecida)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Lussanvira era parte do tronco da Noroeste até pelo menos 1940, quando a variante mais ao sul foi terminada, ligando Araçatuba a Jupiá. O trecho foi abandonado por passar por uma zona de malária muito intensa, onde prevalecia o impaludismo, causando problemas para os ferroviários e moradores da região. Nesse ano, o trecho entre Lussanvira e Jupiá foi suprimido, pois era o que apresentava piores condições para tráfego e povoamento. Em 1961, o ramal foi definitivamente extinto e todo o trecho junto a Lussanvira, incluindo a própria estação, foi submergido pela construção da represa de Três Irmãos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Ilha Seca foi aberta no tronco da Noroeste em 1910. Ali estava afazendado o português João Ramos da Cruz e existia um pequeno povoado com uma agência avançada de correio no sertão, gujo agente era Alfredo Felicissimo. O terror do local era o valentão Isaias de Tal.

Ilha Seca foi a estação de onde partiram, após a chegada por trem, os passageiros que se dirigiam à fazenda Guanabara, de Antonio Joaquim de Moura Andrade, fundador de Andradina, nas terras dessa fazenda. Na verdade, a fazenda foi demarcada com gente que desceu na estação de Ilha Seca em 1929 e de lá partiu traçando uma trilha até chegar ao ponto central da futura fazenda. Junto à estação ficavam os carros de aluguel que transportavam
os viajantes dali à fazenda ao sul.

"Na década de 1930 o transporte na região era bem precário.
Havia uma jardineira que saía às 8 horas de Araçatuba e chegava às 15 horas na estação de Ilha Seca, próxima de Lussanvira. Havia uma baldeação para a jardineira mista da Empresa São Sebastião com destino a Andradina com previsão de chegada entre 20 e 24 hs, se não houvesse contratempos
" (Luziana Queiroz Alcântara,
Andradina - A Terra do Rei do Gado
).

Pelo fato de a linha estar em uma zona onde grassava em alta escala a malária, foi construída entre 1926 e 1937 uma variante mais ao sul entre Araçatuba e Jupíá, que em 1940 passou a ser a linha-tronco da Noroeste.

Por isso, em 20 de janeiro de 1941 a estação foi fechada e os 77 km de trilhos que existiam entre Lussanvira e Jupiá foram arrancados (autorização oficial de 2/12/1940).

Depois da desativação da estação e da linha, tudo o que havia na região foi inundado pela represa de Três Irmãos, inclusive a estação.

ACIMA: Fotografias da linha da Noroeste que corria junto ao rio Tietê inteiramente coberta pelas águas das grandes enchentes que caracterizaram os meses de janeiro e fevereiro de 1929. Na foto acima, o trem atravessa os quilômetros 393 e 394, inundados na extensão de 800 metros, entre as estações de Lussanvira e de Ilha Seca. ABAIXO: Com mais de um metro de água sobre os trilhos, os passageiros fizeram sobre gôndolas o percurso da linha submersa pela enchente do Tietê (Fotografias da revista O Cruzeiro, 18 de maio de 1929, página 20, acervo Ralph M. Giesbrecht).






AO LADO: Problema com índios na região da estação de Ilha Seca, que já estava em funcionamento (O Estado de S. Paulo, 13/3/1911).
(Fontes: O Estado de S. Paulo, 1911 e 12/10/1944; O Cruzeiro, 1929; Luziana Queiroz Alcāntara: Andradina - A Terra do Rei do Gado)
     
     
     
     
Atualização: 14.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.