A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Banharão
Jaú
Ave Maria
...

Tronco oeste CP-1970

IBGE-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2008
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1941-1971)
FEPASA (1971-1998)
JAÚ
Município de Jaú, SP
Linha-tronco oeste - km 275,781   SP-0553
Altitude: 509,950 m   Inauguração: 15.11.1941
Uso atual: sala de música (2002)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1941
 
 
HISTORICO DA LINHA: O chamado tronco oeste da Paulista, um enorme ramal que parte de Itirapina até o rio Paraná, foi constituído em 1941 a partir da retificação das linhas de três ramais já existentes: os ramais de Jaú (originalmente construído pela Cia. Rio-clarense e depois por pouco tempo de propriedade da Rio Claro Railway, comprada pela Paulista em 1892), de Agudos e de Bauru. A partir desse ano, a linha, que chegava somente até Tupã, foi prolongada progressivamente até Panorama, na beira do rio Paraná, onde chegou em 1962. A substituição da bitola métrica pela larga também foi feita progressivamente, bem como a eletrificação da linha, que alcançou seu ponto máximo em 1952, em Cabrália Paulista. Em 1976, já com a linha sob administração da FEPASA, o trecho entre Bauru e Garça que passava pelo sul da serra das Esmeraldas, foi retificado, suprimindo-se uma série de estações e deixando-se a eletrificação até Bauru somente. Trens de passageiros, a partir de novembro de 1998 operados pela Ferroban, seguiram trafegando pela linha precariamente até 15 de março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação nova de Jaú foi construída em 1941, especialmente para a linha nova retificada, substituindo a antiga estação de Jaú, aberta em 1887 e agora colocada fora da passagem dos trilhos do tronco, atendendo somente à Douradense.

Jaú
-nova também foi ligada a Jaú-velha, nesse mesmo ano, permitindo também a baldeação do tronco oeste para a Douradense.

Em 1986, o seu estado era bom, mas com o passar dos anos, foi sendo abandonada, passando a abrigo de mendigos. No final de 2000, pessoas da cidade resolveram tomar a iniciativa de restaurar a estação, lentamente, mas tirando-as aos poucos do abandono.

O último trem de passageiros, em 15 de março de 2001, passou por uma estação sendo reformada depois de anos de abandono.

Em 06/04/2002 a estação foi "reinaugurada" como sala de música, estando hoje no circuito cultural da cidade.

(Veja também JAÚ-VELHA e JAÚ-DOURADO)

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE


À ESQUERDA: Embarques de café na estação de Jaú em 1948, bem como nas de Banharão e Ave Maria, também no município (Folha da Manhã, 9/12/1948).

ACIMA: Jaú e a Douradense em 1946 (O Estado de S. Paulo, 20/2/1946).
ACIMA e ABAIXO: Em 1987, ainda com trens de passageiros da FEPASA rodando, a estação de Jaú fez festa para os seus cem anos de inauguração (1887 foi a data da abertura da estação velha, que jficava em outro ponto e já havia sido demolida) (Acervo Antonio Carlos Belviso).
ABAIXO: Em 1993, a chegada do PP-1 da Fepasa, vindo de São Paulo (Foto Carlos Roberto de Almeida).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Silvio Rizzo; Antonio C. Belviso; Edson Castro; Ricardo Frontera; Carlos R. Almeida; Luiz Carlos Nardy; O Estado de S. Paulo, 1946; Cia. Paulista: relatórios oficiais, 1930-69; IBGE, 1970; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, c. 1958. Foto da revista Ferrovia, comemorativa dos 90 anos da Cia. Paulista

Nos bons tempos, o trem de passageiros na plataforma. Foto Antonio C. Belviso, em 1972

Estação de Jaú em 1984. Foto Edson Castro

Estação já abandonada em 20/05/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

Plataforma da estação, 2000. Foto Ricardo Frontera

Fachada da estação em 2000. Foto Ricardo Frontera

Plataforma da estação, 2000. Foto Luiz Carlos Nardy

A plataforma durante a reforma, em 01/06/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

A fachada durante a reforma, em 01/06/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Jaú em 23/5/2017. Foto Silvio Rizzo

A estação de Jaú em 23/5/2017. Foto Silvio Rizzo
 
     
Atualização: 27.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.