A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mota Paes
Pinhal
...

ramal de Pinhal - 1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1889-1960)
PINHAL
Município de Espírito Santo do Pinhal, SP
Ramal de Pinhal - km 36,238 (1938)   SP-2298
Altitude: -   Inauguração: 01.10.1889
Uso atual: sede de cooperativa   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1913
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Pinhal foi aberto em todas a sua extensão (37 quilômetros) em 1889, partindo da estação de Mogi-Guaçu, no tronco da Mogiana, e chegando até a estação de Pinhal, em Espírito Santo do Pinhal, perto da divisa com Minas Gerais. Funcionou até 31/12/1960, quando foi extinto, ficando os primeiros quatro quilômetros e meio servindo como desvio industrial para a Refinações de Milho Brasil, em Mogi-Guaçu. Os trilhos foram retirados somente em 1967, menos o desvio, que continuou por alguns anos.
 
A ESTAÇÃO: A estação original de Pinhal, construída pelo empreiteiro Nicolau Rehder e também chamada, por algum tempo, com o mesmo nome da cidade (Espírito Santo do Pinhal), foi aberta como ponta do ramal do mesmo nome, em 1889. "Meus pais, filhos de imigrantes italianos e nascidos no interior, sempre me contaram estórias dos trens de suas regiões. (...) minha mãe, nascida em Pinhal, ainda me conta detalhes vividos há mais de setenta anos em torno da Mogiana, como a operação do girador e a espera pelo trem que trazia sardinhas. Sardinhas frescas que,


A ESTAÇÃO DE PINHAL E SEUS MOMENTOS DE GLÓRIA (Folha da Manhã, 23/8/1945)

pelo jeito, viajavam por três ferrovias, do Porto de Santos até a região da Mogiana" (Edmilson Cinquini, 02/2008). Um novo prédio foi entregue em 1913, de acordo com relatório da Mogiana para esse ano: "Construído em Pinhal, no mesmo local da estação antiga, que foi demolida, outro

ACIMA: Quando o serviço postal dependia do trem... seria assim em todos os lugares? (Folha da Manhã, novembro de 1947). ABAIXO: A estação, no início do século XX (Autor desconhecido - Album da Mogiana).
edifício mais amplo, servindo para
estação, armazém e casa do chefe
" (Relatório da Mogiana, 1913). Em 1939 (ato 1.144, de 20/7/1939), passou a se chamar definitivamente Pinhal. A estação foi fechada definitivamente, com o ramal, em 31/12/1960, tendo

ACIMA: Reportagem de 1946 fala sobre Espirito Santo do Pinhal - e mete o pau na linha férrea (que, com a guerra, tornou-se deficiente"; "a viagem de Campinas a Pinhal é morosa e dura quatro horas" e "temos uma esplêndida linha de jardineiras que se acham em comunicação com os trens da Paulista"... a Mogiana estava estourada, não investia mais nos ramais e a imprensa não colaborava (O Estado de S. Paulo, 2/3/1946).
sido transformada em estação rodo-ferroviária nesse ano (Relatório da Mogiana, 1961 e OESP, 1/1/1961). Não ficou nessa condição por muito tempo. Fica no centro da cidade, e serve hoje como sede de uma cooperativa, tendo sempre caminhões estacionados a seu redor. Era uma estação conjugada com armazém, ocupando por isso uma área bastante grande.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Nilson Rodrigues; Folha da Manhã, 1945 e 1947; O Estado de S. Paulo, 1961; Cia. Mogiana: Relatórios anuais, 1875-1969; Companhia Mogiana: Horário oficial dos trens de passageiros e mistos a partir de 3-1-1967; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Pinhal, c. 1908. Foto do álbum da Mogiana

Estação de Pinhal, foto sem data. Cedida por Nilson Rodrigues

A estação em 14/09/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 14/09/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 14/09/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A antiga estação de Pinhal, em 2000. Autor desconhecido
     
Atualização: 01.05.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.