A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Aluísio Beltrão
Espinharas
Areia de Baraúnas
...

Ramal de C. Grande-1958
...
 
Rede Ferroviária do Nordeste (1958-1975)
RFFSA (1975-1997)
ESPINHARAS
Município de Passagem, PB
Ramal de Campina Grande - km 356 (1960)   PB-3620
    Inauguração: 1958
Uso atual: desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1957
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Campina Grande teve seu primeiro trecho entregue em 2 de outubro de 1907, entre a estação de Itabaiana, na linha da Great Western que ligava Recife a Natal, e a cidade paraibana de Campina Grande. Do outro lado do Estado da Paraíba, entre 1923 e 1926, a Rede de Viação Cearense alcançava a cidade de Souza, partindo de sua linha-tronco que ligava Fortaleza a Crato, no Ceará, a partir da estação de Arrojado. De Souza, a RVC avançou até Pombal (1932) e depois a Patos (1944). O trecho de 164 km entre Patos e Campina Grande somente seria entregue ao tráfego em 1958, e era justamente esta a linha que ligava o Nordete Ocidental ao Oriental, ou seja, o Ceará ao resto do Brasil. Hoje este ramal é um dos mais movimentados, em termos de cargueiros, do Nordeste, ligando Recife a Fortaleza e dali a São Luiz do Maranhão. O tráfego de passageiros no ramal foi desativado nos anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Espinharas foi inaugurada em 1958 na linha aberta nesse ano ligando Patos a Campina Grande. Duas empresas se encarregaram de construir a linha. No sentido Oeste-Leste a empresa RVC, concluía o ramal da Paraíba. Já no sentido Leste-Oeste, a incumbência construtiva era da empresa Camillo Collier, parceira da RFN, sendo a estação de Espinharas o encontro dos trilhos em 1958. Havia diferenças entre os trechos. Antes de Espinharas as estações eram erguidas à base de madeira, o aterro feito a carro e as perfurações conseguidas mediante marretadas. No entanto, a partir de Espinharas o trabalho já se constitui mecanizado. As estações passaram a ser levantadas tendo por base a pedra, o aterro trazido pelas caçambas e as perfurações efetivadas pelo compressor. De três em três léguas era erguida uma estação. A cidade onde estava a estação se chama hoje Passagem. Não sei a situação atual do prédio.
(Fontes: Jonatas Rodrigues; Diário da Borborema, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Espinharas em 1957. Diário da Borborema, 1/1958
 
     
     
Atualização: 17.03.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.