A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações da linha
...
Ibituruna
Aureliano Mourão
Bom Sucesso
...
Saída para o ramal Aureliano-Lavras (até c. 1966): Macaia
...
Saída para a linha de Divinópolis (a pat. de c. 1966): Posto PBA
....
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
....

 
E. F. Oeste de Minas (1887-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1984)
AURELIANO MOURÃO
Município de Bom Sucesso, MG
Linha do Paraopeba - km 202,100 (1960)   MG-2770
Altitude: 786 m   Inauguração: 31.10.1887
Uso atual: abandonada (2018)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1940
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) foi aberta em 1880, ligando com bitola de 0,76 cm as estações de Sitio (Antonio Carlos) e Barroso. Mais tarde foi prolongada até São João Del Rey (1881), atingindo Aureliano Mourão em 1887, onded havia uma bifurcação, com uma linha chegando a Lavras em 1888 e a principal seguindo para o norte atingindo finalmente Barra do Paraopeba em 1894. Dela saíam diversos e pequenos ramais. A linha foi extinta em pedaços, tendo sido o primeiro em 1960 (Pompeu-Barra) e o último, em 1984 (Antonio Carlos-Aureliano), com exceção do trecho S.J. Del Rey-Tiradentes que e conserva em atividade até hoje. Também se conserva o trecho Aureliano-Divinópolis, ampliado para bitola métrica em 1960, ligando hoje Lavras a Belo Horizonte.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Aureliano Mourão foi inaugurada em 1887. Aqui era o entroncamento das linhas que seguiam para Divinópolis e para Lavras. O seu nome homenageava o Dr. Aureliano Marins de Carvalho Mourão, primeiro presidente da EFOM. Nos anos 1930, o lugarejo vivia em torno da estação.

Tudo dependia de Bom Sucesso, ali perto. O prédio não tinha nem luz, apesar do enorme movimento de trens.

O prédio original da estação foi substituído pelo atual em 1940. O novo prédio, em forma de triângulo, facilitava as baldeações. Os trens que chegavam de São João del Rey entravam pela direita do prédio e dali seguiam para Divinópolis. Os que vinham desta cidade seguiam para Lavras, e os que vinham de Lavras seguiam para São João del Rey. O horário era fixado para que chegassem na mesma hora. Quando tudo dava certo, o movimento na estação era impressionante (Fonte: "Certa Ocasião...", Tarcísio José de Souza, 2001).

Nos anos 1960, a linha de bitola estreita entre Lavras e Divinópolis, passando a três quilômetros de Aureliano Mourão, na nova estação chamada de Posto PBA, foi ampliada para métrica, fazendo a ligação Lavras-Divinópolis-Belo Horizonte, mantendo-se esta em atividade até hoje para trens cargueiros, e operada pela FCA. Porém, até Aureliano Mourão chegava apenas uma linha de bitola mista, métrica e estreita. A baldeação era feita mesmo no PBA.

O tráfego na linha de bitola estreita cessou em junho de 1983. A linha foi erradicada em dezembro de 1984, deixando a estação sem trilhos. A estação continua de pé e a vila é habitada, lá virou um ponto de encontro de pescadores e é bem movimentado nos finais de semana, segundo Bruno N. Campos, em 28/11/03.

"O Ministério Público de Minas Gerais entrou com uma ação contra o município de Bom Sucesso para que as Estações Ferroviárias de Bom Sucesso e de Aureliano Mourão fossem restauradas. Após a tramitação da ação (que foi julgada procedente) o municipio de Bom Sucesso cumpriu parte da sentença e já restaurou completamente a estação de Bom Sucesso, restaurada seguindo projeto do IPHAN, e embora permaneça fechada, é utilizada às vezes para eventos culturais. Infelizmente o município de Bom Sucesso ainda não cumpriu a sentença judicial em relação à estação de Aureliano Mourão, que permanece abandonada" (Marco Tulio Faria Nunes, 10/3/2018).


ABAIXO: Na ainda antiga estação de Aureliano Mourão, a imagem desenhada na Igreja dos Matosinhos, em São João del Rey. Para ler bem a mensagem, CLIQUE SOBRE A IMAGEM.

ACIMA: Em março de 1979, as duas linhas que já existiam em Aureliano Mourão: a métrica (à esquerda) e a "bitolinha" de 76 cm, com a locomotiva a vapor. Ao fundo, a estação (Foto Herbert Graf).

ACIMA: Manobra em Aureliano Mourão, provavelmente início dos anos 1980 (Foto R. Gumbert).
ACIMA: A estação em 2015 (Foto Elton Fernandes).

(Fontes: Marco Tulio Faria Nunes; Bruno N. Campos; Herbert Graf; Elton Fernandes; Paul Waters: Samuel__; Tarcisio José de Souza: Certa Ocasião, 2001; West of Minas Narrow Gauge, 2001; Mucio Jansen Vaz: Estrada de Ferro Oeste de Minas - Trabalho Historico-Descriptivo, 1922; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

Estação de Aureliano Mourão em 1912: era o prédio antigo. Foto extraída do livro West of Minas Narrow Gauge, de Paul Waters, 2001

A estação em 1925. Autor desconhecido

A estação em 1925. Autor desconhecido

Estação de Aureliano Mourão em 1982: é o prédio triangular de 1940. Foto extraída do livro West of Minas Narrow Gauge, de Paul Waters, 2001

Caixa d'água da estação em 2004. Foto Bruno Nascimento Campos

A estação em 2004. Foto Bruno Nascimento Campos

A estação em 2004. Foto Bruno Nascimento Campos

A estação em 2004. Foto Bruno Nascimento Campos

A estação em 2010. Foto Samuel
     
Atualização: 10.03.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.