A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações da linha
...
Invejosa
Barroso
Eng. P. Magalhães
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Oeste de Minas (1880-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1984)
BARROSO
Município de Barroso, MG
Linha do Paraopeba - km 48,870 (1960)   MG-0084
Altitude: 900 m   Inauguração: 30.09.1880
Uso atual: moradia (2007)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) foi aberta em 1880, ligando com bitola de 0,76 cm as estações de Sitio (Antonio Carlos) e Barroso. Mais tarde foi prolongada até São João Del Rey (1881), atingindo Aureliano Mourão em 1887, onde havia uma bifurcação, com uma linha chegando a Lavras em 1888 e a principal seguindo para o norte atingindo finalmente Barra do Paraopeba em 1894. Dela saíam diversos e pequenos ramais. A linha foi extinta em pedaços, tendo sido o primeiro em 1960 (Pompeu-Barra) e o último, em 1984 (Antonio Carlos-Aureliano), com exceção do trecho S.J. Del Rey-Tiradentes que e conserva em atividade até hoje. Também se conserva o trecho Aureliano-Divinópolis, ampliado para bitola métrica em 1960, ligando hoje Lavras a Belo Horizonte.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Barroso foi inaugurada em 1880. Foi estação terminal da linha até o ano seguinte, quando foi aberto o trecho até São João d'El Rey.

Com a erradicação da linha, em 1984, foi fechada. Foi utilizada pela Prefeitura do município e tombada como patrimônio histórico municipal de Barroso.

Em 2007, apesar de tombada, estava abandonada e em péssimo estado, invadida e ao lado de um ferro-velho imundo. Em 2015, pelo menos o ferro-velho não mais existia. O prédio da antiga estação continuava em mau estado.

ACIMA: Em 1880, os primeiros trens a sair da estação de Ditio chegavam a Barroso e retornavam em 2h15 (O Arauto de Minas, 9/12/1880).

ACIMA: Vagões "drop-bottom" (vagões-gôndola de borda alta que circularam por pouco tempo na "bitolinha" e eram os únicos com engate automático e furo na mandíbula para o pino e manilha que ali circularam) no pátio de Barroso, nos "bons tempos", infelizmente já muito próximos do fim, em junho de 1982. A estação está atrás do auto de linha vermelho, à direita (Foto Marcelo Lordeiro). ABAIXO: Esquema de linhas férreas que existiam dentro da fábrica de cimento em Barroso, próximo à estação ferroviária (Vicente Ribeiro Thomaz).
(Fontes: Bruno N. Campos; Vicente Ribeiro Thomaz; Alberto del Bianco; Nilson Rodrigues; Gutierrez L. Coelho; Marcelo Lordeiro; O Arauto de Minas, 1880; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação por volta de 1910. Foto cedida por Bruno N. Campos

A estação. Autor e datas desconhecidos

A estação de Barroso em 1981. Foto Alberto del Bianco

A estação de Barroso em 1982. Foto Nilson Rodrigues

Estação de Barroso, em 2003. Foto Bruno Nascimento Campos.

Estação de Barroso, em 2003. Foto Bruno Nascimento Campos.

A estação em 23/08/2007. Foto Gutierrez L. Coelho

 

     
Atualização: 21.12.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.