A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações da linha
...
Abaeté
Pompeu
Clarindo
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...

 
E. F. Oeste de Minas (1894-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1962)
POMPEU
Município de Abaeté, MG
Linha do Paraopeba - km 544,753 (1960)   MG-2776
Altitude: 547 m   Inauguração: 01.08.1894
Uso atual: desconhecido   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) foi aberta em 1880, ligando com bitola de 0,76 cm as estações de Sitio (Antonio Carlos) e Barroso. Mais tarde foi prolongada até São João Del Rey (1881), atingindo Aureliano Mourão em 1887, onde havia uma bifurcação, com uma linha chegando a Lavras em 1888 e a principal seguindo para o norte atingindo finalmente Barra do Paraopeba em 1894. Dela saíam diversos e pequenos ramais. A linha foi extinta em pedaços, tendo sido o primeiro em 1960 (Pompeu-Barra) e o último, em 1984 (Antonio Carlos-Aureliano), com exceção do trecho S.J. Del Rey-Tiradentes que e conserva em atividade até hoje. Também se conserva o trecho Aureliano-Divinópolis, ampliado para bitola métrica em 1960, ligando hoje Lavras a Belo Horizonte.
 
A ESTAÇÃO: O distrito de N.S. da Conceição de Pompeu, que
pertencia ao município de Pitangui, existia desde 1866 e em 1893 foi inaugurada a estação de Pompeu, instalada a 13 km da vila, mas em território do município de Abaeté, onde permaneceu até o fechamento da estação e da linha, em 1962.

Somente em 1916 construiu-se a ponte sobre o rio São Francisco, na estrada que ligava o distrito à estação. Em 1939 Pompeu separou-se de Pitangui como município, mas continuou com sua estação em Abaeté.

Aliás, consta que o nome correto seria Pompéu e não Pompeu.

Nos anos 1950, consta que quem descia na estação tinha um ônibus à disposição para cruzar o rio e levar à sede do município. (ver fonte (1)).

Com a desativação da linha até a estação de Barra do Paraopeba para passageiros em 1960, a estação de Pompeu foi de 1960 até 1962 o ponto final da linha da EFOM, quando então o trecho desde Martinho de Campos também foi eliminado, acabando com os trens na estação.


ACIMA: A sede do município de Abaeté, à esquerda neste mapa parcial publicado em 1960, e a estação de Pompeu, cerca de 40 km a leste, mas dentro ainda do município de Abaeté, a leste do mapa (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, vol. IX, 1960, p. 79).

ACIMA e ABAIXO: A fazenda Indostão, "a modelar fazenda de Pitanguy", era do "senhor Francisco Campos, (que a) possue na estação do Pompeo, município de Pitanguy". Essa fazenda ficaria à margem direita do São Francisco, ou à esquerda, onde ficava a estação, já no município de Abaeté? Ali criava ele, em 1938, gado, algodão e mamona (Revista O Malho, 29 de dezembro de 1938).

ABAIXO: A estação de Pompeu em 1958 (Observatório Economico e Financeiro, 1958).

AO LADO: Encaminho hoje o carimbo de uma antiga estação da E. F. Oeste de Minas. A Estação do Pompêo se localizava no município de Pitangui, depois desmembrou-se como Nossa Senhora da Conceição do Pompéu, posteriormente Buriti da Estrada e em seguida simplesmente Pompéu. Pertencia ao Ramal de Sítio, atual Antônio Carlos, à Barra do Paraopeba da E. F. O. M. Permutava malas postais com a Administração Regional de Minas, em Ouro Preto de dois em dois dias. A mala postal seguia de Pompéu pela E. F. Oeste de Minas - ramal de Sítio a Barra do Paraopeba - até a Estação do Sítio, em seguida, pela Estrada de Ferro Central do Brasil - linha do centro - até Miguel Burnier e então, pelo ramal de Ouro Preto até o destino (Texto e reprodução Marcio Protzner, 03/03/2009).
(Fontes: Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Marcio Protzner, 2009; O Malho, 1938; (1) Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, vol. IX, 1960, p. 62/79; Observatório Economico e Financeiro, 1958; Revista Ferroviária, agosto de 2000, p. 32)
     
     
Atualização: 12.04.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.