A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG

Pátio de Lins
 
E. F. Noroeste do Brasil
rotunda de LINS
Município de Lins, SP
     
Uso atual: almoxarifado da prefeitura    
 
ROTUNDAS são depósitos de locomotivas de forma circular ou semi-circular: variam geralmente de prédios construídos em 90 graus até prédios totalmente circulares, construídos em 360 graus. A distribuição das locomotivas para cada baia é feita por um girador, movido na maioria das vezes manualmente. Estes giradores são trilhos que giram dentro de um círculo com um poço, cujos trilhos são apontados para a baia que receberá a máquina. Não confundir girador (ou virador, ou giramundo) com rotunda.
 
Rotunda de Lins - 270 graus
ACIMA: Construção da rotunda de Lins, em foto por volta de 1946 (Acervo COMDEPAC-Lins).
ACIMA: A rotunda de Lins - vista aérea. Vejam as partes destelhadas, o solo arrasado à sua volta... (Google Maps, 2008).
ACIMA: Aspectos da mal-cuidada ex-rotunda de Lins em 2009 (Foto Daniel Gentili).
ACIMA: O interior da antiga rotunda em 11/2010 (Foto Daniel Gentili).

ACIMA: O interior da antiga rotunda em 11/2010 (Foto Daniel Gentili)

ACIMA: O interior da antiga rotunda em 2020 (Foto Guilherme Senhorine Ferretti em 5/7/2020).

A rotunda de Lins estava ligada por trilhos à estação original da cidade, inaugurada em 1908. Porém, o prédio somente foi entregue em 1947, depois de o início da terraplenagem para sua construção ter ocorrido no ano de 1938. É uma construção de cerca de 6.500 m2.

A rotunda localiza-se na Vila Militar, à margem do córrego Barbosa e o terreno onde está implantada tem cerca de 60.000 m². Não estava no mesmo pátio da estação, mas, com a substituição do pátio antigo pelo novo, em 1962, ela foi desativada. Funcionou, portanto, apenas por 14 anos. O prédio, tombado pela Prefeitura local, hoje (2012) serve de depósito para a prefeitura da cidade.

"A rotunda continua sendo usada pela prefeitura para depósito de materiais, confecção de blocos e outras coisas (até animais apreendidos). Não há nenhuma manutenção no prédio, o que é um perigo para o pessoal que lá trabalha, pois de vez em quando desaba parte do telhado. Do girador só restou o bueiro" (Daniel Gentili, 11/11/2010). Para saber mais sobre a rotunda de Lins, veja o trabalho de Rodrigo Amado dos Santos (2010).

Em 2020, o destelhamento continuava. Difícil se imaginar, mas não deve ser mais almoxarifado e sim um prédio totalmente abandonado.

(Fontes: Kauê Obara Kurimori; Antonio Silvano Gustinelli; Daniel Gentili; COMDEPHAC - Lins)
     

A rotunda em 11/2010. Fotos Daniel Gentili
     
Atualização: 05.09.2020
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.