A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Fagundes
Arantes
...

ramal de Jandaia-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2000
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1910-1956)
ARANTES
Município de Cravinhos, SP
Ramal de Jandaia - km 15,469   SP-0971
Altitude: -   Inauguração: 01.06.1910
Uso atual: demolida depois de 2000   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1910
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Jandaia teve o nome derivado da Fazenda Jandaia, situada logo após a Fazenda Cravinhos, pelas quais o leito do ramal passava. Foi aberto em 1910, e ainda nesse ano, a Cia. estudou o seu prolongamento do ramal, chegando até Jatobá, além do rio Pardo e local não identificado. O ramal saía da estação de Bifurcação, no ramal de Cravinhos, e chegava até Arantes, com quase 16 km. O ramal foi desativado em 1956 pela Mogiana e teve os trilhos arrancados logo depois.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Arantes foi inaugurada em 1910. O nome do ramal derivava da fazenda Jandaia, situada logo após a fazenda Cravinhos, pelas quais o leito do ramal passava. O ramal era descrito então como indo "até Dr. Senna, no km 16", que parece ter sido o local da estação de Arantes, ponto final da linha. O nome final da estação, por sua vez, derivou do nome do proprietário da fazenda São Carlos, onde ela estava situada, o senhor Manuel Arantes Nogueira. Ainda em 1910, a Cia. estudou o prolongamento do ramal, cruzando o rio Pardo e chegando até Jatobá, local não identificado. Logo em seguida, prendia-se ligar Arantes a Mato Grosso de Batataes, atual Altinópolis. Perto dali, pretendia-se construir uma linha de bitola métrica, com a função de "defesa de zona privilegiada", saindo de Ribeirão Preto e chegando até Periripau, que era o local que passaria o prolongamento citado acima do ramal de Jandaia. O prolongamento e a linha de defesa nunca foram construídos. Periripau, ou Piripau, por sua vez, é uma fazenda que fica na margem sul do rio Pardo, não muito distante, a nordeste da atual estação de Evangelina, na linha nova da Mogiana. O jornal Diário da Manhã, de Ribeirão Preto, de 31/05/1910, publicava o seguinte: "Companhia Mogyana - Em primeiro de junho proximo futuro serão abertas ao trafego publico de passageiros, mercadorias e para serviços telegraphicos as estações de Bifurcação no kilometro 15 e Alvarenga no kilometro 21 do ramal de Cravinhos, e tambem as estações de Fagundes e Arantes nos kilometros 10 e 16 do sub-ramal de Jandaia. Campinas, 14 de maio de 1910. José Pereira Rebouças - Inspetor Geral." Foi desativada em 1956, com todo o ramal (*RM-1956). "Eu nasci na fazenda Santa Rita do Picadão, que hoje se pode ver ao lado da via Anhangüera; eu ia sempre com meu pai ao armazém de Arantes, que tinha de tudo, e, no caminho, aproveitava e tirava alguns bambus do bambuzal, para fazer varas de pescar; nessa época, o trem já não passava mais" (Tadeu Andrade, Ribeirão Preto, 28/01/00). A estação estava abandonada em 2000, quando ali estive, e ficava atrás da Fazenda Santa Maria, e se chegava a ela saindo por uma estrada de terra que saía da rodovia Ribeirão-Serrana. A propriedade estava cercada. Depois disso, foi demolida.
ABAIXO: Prolongamento do ramal de Jandaia, ligando Arantes a Altinopolis, na época, Mato Grosso de Batataes. Este nunca saiu. Também consta o estudo de prolongamento do ramal de Cravinhos ligando Alvarenga a Serrinha, hoje Serrana, em 1912. (Relatório da Mogiana para 1911 - O Estado de S. Paulo, 27/6/1912).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Cia. Mogiana: Relatórios anuais; Diário da Manhã, Ribeirão Preto; F. Gomes: Cravinhos-Histórico, Geographico Commercial Agricola, 1922)
     

28/01/2000 - a estação de Arantes, abandonada. Foto Ralph M. Giesbrecht

28/01/2000 - a estação, abandonada. Foto Ralph M. Giesbrecht

28/01/2000 - detalhe da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht
     
     
Atualização: 30.07.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.