A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Itaoca
Cajuru
...

ramal de Cajuru-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2006
...

 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1912-1966)
CAJURU
Município de Cajuru, SP
Ramal de Cajuru - km 59,104 (1937)   SP-0732
Altitude: 766 m   Inauguração: 08.12.1912
Uso atual: estação rodoviária (2014)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1912
 
 
HISTORICO DA LINHA: A ferrovia que saía da estação de Santos Dumont, aberta em 5/6/1908 por Henrique Santos Dumont, proprietário da fazenda London, foi comprada pela Mogiana em 15/12/1909, transformando-se no Ramal de Santos Dumont. A fazenda, que então já se chamava Amália, era o ponto final da linha, que foi aberta ao tráfego público em 26/4/1910, já com a estação terminal de Corredeira, construída pela CM. Tinha bitola métrica, e em 1912 o ramal chegou a Cajuru. Funcionou por mais de 50 anos, tendo o seu trecho entre Amália e Cajuru sido fechado em 19/6/1966, e o trecho que restou, em 3/1/1967. Este, entretanto, ainda serviu como desvio particular da Fazenda Amália já então de propriedade dos Matarazzo, até cerca de 1974. Depois o desvio foi extinto e os trilhos retirados.
 
A ESTAÇÃO: O jornal O Estado de S. Paulo de 25/9/1911 escrevia que "já estão iniciados os trabalhos do nivelamento do terreno em que será construída a estação da Companhia Mogyana nesta cidade (de Cajuru)". Realmente, a estação de Cajuru foi inaugurada em 1912, como ponta do ramal. Durou cinquenta anos funcionando: foi fechada em 16/9/66 (*RM-1966), com o fim do trecho do ramal

ACIMA: Esta era a vista que se tinha da cidade de Cajuru quando se desembarcava na estação da Mogiana, em 1922. Notar que a fotografia é uma composição de duas (Acervo Ralph Mennucci Giesbrecht). ABAIXO: Linha do ramal de Cajuru a partir da cidade, partindo para o sul. A linha aparece em preto, intermitente e tracejada, com diversas curvas. Já estsava abandonada na época. CLIQUE SOBRE O MAPA PARA VE-LO MAIS AMPLO E COM MAIS DETALHES (IBGE, 1970).

entre Amália e Cajuru. Depois disso, foi totalmente descaracterizada, numa reforma que a transformou na estação rodoviária da cidade. Em 2014, seguia-o sendo.

ACIMA: A supressão de duas partes de dois ramais e de um ramal inteiro acabou com o tráfego de trens de passageiros e cargueiros ao mesmo tempo em 16/9/1966 em diversas estações, incluindo a de Cajuru (O Estado de S. Paulo, 31/8/1966). ABAIXO: Antigo depósito de locomotivas no pátio ferroviário de Cajuru (Foto Mario Favaretto em julho de 2014).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Mario Favaretto; Cia. Mogiana: Relatórios anuais, 1900-69; O Estado de S. Paulo, 1911; IBGE, 1970; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Em 08/12/1912, tudo é festa na inauguração da estação de Cajuru. Foto de Alexandre F. Brandão, de um cartão-postal da Prefeitura de Cajuru, 2000

Em 09/04/2000, o prédio da antiga estação é a rodoviária da cidade, completamente desfigurado. Foto Ralph M. Giesbrecht

A antiga e desfigurada estação ferroviaria de Cajuru segue como rodoviaria em julho de 2014. Foto Mario Favaretto
     
     
Atualização: 17.05.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.