A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Eng. Pedro de Camargo
Herculândia
Parnaso
...

Tronco oeste CP - 1970

IBGE-1973
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 1977
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1941-1971)
FEPASA (1971-1998)
HERCULÂNDIA (antiga SANTANA)
Município de Herculândia, SP
Linha-tronco oeste - km 525,887   SP-2001
Altitude: 481,110m   Inauguração: 15.11.1941
Uso atual: abandonada e em ruínas   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1941
 
 
HISTORICO DA LINHA: O chamado tronco oeste da Paulista, um enorme ramal que parte de Itirapina até o rio Paraná, foi constituído em 1941 a partir da retificação das linhas de três ramais já existentes: os ramais de Jaú (originalmente construído pela Cia. Rio-clarense e depois por pouco tempo de propriedade da Rio Claro Railway, comprada pela Paulista em 1892), de Agudos e de Bauru. A partir desse ano, a linha, que chegava somente até Tupã, foi prolongada progressivamente até Panorama, na beira do rio Paraná, onde chegou em 1962. A substituição da bitola métrica pela larga também foi feita progressivamente, bem como a eletrificação da linha, que alcançou seu ponto máximo em 1952, em Cabrália Paulista. Em 1976, já com a linha sob administração da FEPASA, o trecho entre Bauru e Garça que passava pelo sul da serra das Esmeraldas, foi retificado, suprimindo-se uma série de estações e deixando-se a eletrificação até Bauru somente. Trens de passageiros, a partir de novembro de 1998 operados pela Ferroban, seguiram trafegando pela linha precariamente até 15 de março de 2001, quando foram suprimidos.
 

A ESTAÇÃO: A estação de Herculândia foi aberta em 1941 como Santana, seguindo o S do alfabeto da Paulista.

O nome atual veio pouco tempo depois, homenageando o Prof. Herculano de Freitas, da Faculdade de Direito da USP.

Em 1986, já desativada, a estação estava servindo como escola. Em 2006 já estava depredada e em ruínas, depois de ter sido incendiada e seu teto ter cedido. "A estação de Herculândia foi uma que me marcou muito, pois foi nessa cidade que meu pai iniciou sua vida de casado. Naquela época, muitos anos atrás meus avós paternos estavam ainda vivos e tudo indicava que o progresso da região era o trem. Meu pai, nessa época muito jovem, chegou ver o leito dessa ferrovia ser escavado, pois a linha passava por Herculãndia e ia só até Tupã, e somente algum tempo depois foi que seguiu para a frente. A estação durante anos ficou assim fechada mais com toda estrutura em pé, inclusive o telhado. Mas em abril de 2006, quando passei por lá , foi de dar dó; em ruínas, sem o telhado, o mato parece engolir a estação" (Artur F. da Silva, 2006). "Hoje fui em Herculândia pegar alguns sacos de sal(para gado) e aproveitei para tirar estas fotos da estação. Ela não tem telhado e as paredes já estão começando a ruir" (Otávio Barros, 14/1/2008).

Em outubro de 2017, o armazém seguia em mau estado. A estação seguia arruinada, mas, mesmo assim, ocupada em parte por moradores.
ACIMA: A simpática casa que pertencia ao agente da estação (quando esta tinha um) sobrevive em razoavel estado, ocupada por uma família. A casa fica atrás da estação, esta sim em ruínas (Foto Rafael Correa, 22/11/2008). ABAIXO: A estação anunciada no dia de sua inauguração: o nome é Sant'Ana (Folha da Manhã, 15/11/1941).


ACIMA: Vista do trem, inteira e ainda funcionando, a estação de Herculândia em julho de 1994 (foto Jurandir Ferrari).

(Fotos: Silvio Rizzo; Rafael Correa; Artur F. da Silva; Otávio Barros; Hermes Y. Hinuy; Jurandir Ferrari; Mário Favaretto; Fabio Vasconcellos; Folha da Manhã, 1941; Cia. Paulista: relatórios oficiais, 1920-69; FEPASA: Relatório de Instalações fixas, 1986; IBGE, 1973; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)

     

Estação de Herculândia. Foto do relatório de Instalações Fixas, FEPASA, 1986

A estação em 09/03/1995, ainda inteira. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação ainda inteira nos em julho de 1995. Foto Artur F. da Silva

Ai meu Deus! A estação já somente no esqueleto, em 30/08/2001. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação não melhorou nada em 2004. Foto Fabio Vasconcellos

O armazem está em condições não tão ruim, mas também está abandonado, em 2004. Foto Fabio Vasconcellos

Ruínas da estação em 10/2009. Foto Mário Favaretto

O armazém em 10/2009. Foto Mário Favaretto

A estação em 25/2/2017. Foto Silvio Rizzo

A estação em 25/2/2017. Foto Silvio Rizzo
   
     
Atualização: 26.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.