A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Doutor Fontes
Luzitania
...

ramal de Luzitania-1950
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
E. F. Jaboticabal (1916-1951)
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1951-1966)
LUZITANIA
Município de Jaboticabal, SP
Ramal de Luzitania - km 25,155   SP-2096
Altitude: 550,000 m   Inauguração: 15.03.1916
Uso atual: moradia (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1916
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Luzitania foi o sucessor da E. F. Jaboticabal, construída por fazendeiros da região em 1916. Originalmente o projeto visava chegar ao norte do Estado, mas devido à existância de uma pedreira após Luzitania, que demandaria altos investimentos com nmaquinário para retirá-la, ela acabou apenas com 25 km e três estações. Em 1951, foi comprada pela Cia. Paulista, depois de anos de administração desta última, e teve o nome alterado para o do ramal. Em 16/06/1966, o trecho além de Doutor Fontes foi suprimido, e o trecho restante durou pouco tempo mais. Os trilhos foram retirados logo depois e as estações abandonadas.
 
A ESTAÇÃO: Em 5/11/1914, os proprietários da ferrovia ainda em projeto, a E. F. Jaboticabal, anunciavam que chamariam a estação que seria construída no bairro da Ponte Alta, de Luzitânia. Em março de 1916, foi inaugurada a estação, que deveria servir como terminal provisório da linha. Ela deveria seguir até Pitangueiras e prosseguir para mais ao norte. Já tinha três estações projetadas, inclusive com nomes: Major Novaes, Alves Lima e Curupi.

O anúncio do prolongamento chegou a ser feito oficialmente em 29/01/1916, mas a existência de uma pedreira entre as fazendas do Tanque e São João, do Major Novaes, somado ao fato de a EFJ não ter maquinário para removê-la, acabou fazendo com que seus proprietários desistissem do empreendimento.

Em 1934, o local passou a ser distrito do município de Jaboticabal, situação que se mantém até os dias de hoje.

Em 1951, a Cia. Paulista adquiriu a empresa, que já vinha administrando nos últimos anos. Passou a se chamar ramal de Luzitânia, que não teria vida muito longa.

Em 16/09/1966, o trecho entre Dr. Fontes e Luzitânia foi suprimido.

O prédio da estação, feito de chapas, sobrevivia até 2016, ocupado por uma família como moradia.

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Miguel Saad; Clovis Capalbo; Cia. Paulista: relatórios anuais, 1950-69)
     

Entrada da vila de Lusitânia, com os trrilhos, provavelmente anos 1940. Foto cedida por Clovis Capalbo

Entrada da vila de Lusitânia, com os trrilhos, provavelmente anos 1940. Foto cedida por Clovis Capalbo

A estação, de chapas, servindo como moradia, em 17/11/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 17/11/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A ex-estação em 20/2016. Foto Miguel Saad
 
     
Atualização: 12.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.