A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Indice do MS
...
Major Vicente
Água Clara
Atoladeira
...

IBGE-1959
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Itapura-Corumbá (1912-1917)
E. F. Noroeste do Brasil (1917-1975)
RFFSA (1975-1996)
ÁGUA CLARA (antiga RIO VERDE)
Município de Água Clara, MS
Linha-tronco - km 638,914 (1959)   MS-1580
Altitude: 304,252 m   Inauguração: 31.12.1912
Uso atual: depósito de via (ALL)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Itapura a Corumbá foi aberta a partir de 1912, entre Jupiá e Agua Clara e entre Pedro Celestino e Porto Esperança, deixando um trecho de mais de 200 km entre as duas linhas esperando para ser terminado, o que ocorreu somente em outubro de 1914. A partir daí, a linha estava completa até o rio Paraguai, ao sul de Corumbá, em Porto Esperança; somente em 1952 a cidade de Corumbá seria alcançada pelos trilhos. Logo depois da entrega da linha, em 1917, a ferrovia foi fundida com a Noroeste do Brasil, que fazia o trecho inicial no Estado de São Paulo, entre Bauru e Itapura. E em 1975, incorporada como uma divisão da RFFSA, foi finalmente privatizada sendo entregue em concessão para a Novoeste, em 1996.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Água Clara foi inaugurada em 1912. A cidade e a estação ficam às margens do rio Verde, já na divisa com o município seguinte, Ribas do Rio Pardo, tendo sido o nome inicial da estação justamente Rio Verde. Foi ponta de linha durante os dois primeiros anos. Na verdade, a ferrovia no Mato Grosso foi

ACIMA: A estação de Rio Verde e trabalhadores trabalhando na extensão a Campo Grande posam para o fotógrafo (Illustração Brasileira, 1/11/1913).
entregue, em 1912, em duas partes estanques: entre Jupiá e Água Clara e depois, entre Pedro Celestino, bem além de Campo Grande, e Porto Esperança; por dificuldades técnicas e financeiras, a parte de mais de 200 km entre esses dois trechos somente foi entregue em 1914, quase dois anos depois. Quase cem anos depois, "A estação ferroviária de Água Clara, da antiga NOB, infelizmente se encontra em péssimas condições de conservação, sem a devida manutenção pela atual concessionária da ferrovia, a empresa ALL, causando prejuízo ao patrimônio da União e à história da cidade e do Estado de Mato Grosso do Sul. Aliás, a malha férrea (linha) também está bastante sucateada, com trilhos velhos e dormentes

ACIMA: Estação de Água Clara em 1986 com uma locomotiva a vapor, certamente já aposentada na época, junto à plataforma (Foto Arlindo Silva).
podres, trocados de forma apenas para manter o pouco tráfego de trens na via (entre Três Lagoas e Campo Grande basicamente só trafegam composições de petróleo, levando diesel apenas para a capital do Estado). Tal postura da concessionária demonstra o descaso com a ferrovia no Estado, inclusive, prejudicando a nossa economia, pois desde que assumiu a malha da antiga Novoeste, suprimiu o transporte de soja nesse trecho, se concentrando mais na ligação entre Três Lagoas e Santos, transportando celulose da fábrica da Fíbria/Votorantim
" (Sérgio W. Annibal, 30/7/2012).
(Fontes: Sérgio W. Annibal; Evanildo Santos; Arlindo da Silva; Ricardo Frontera; José H. Bellorio; Illustração Brasileira, 1913; IBGE, 1959)
     

Casas da vila e depósito de locomotivas em Água Clara em 1922. Foto cedida por Ricardo Frontera

Estação de Água Clara, sem data. Foto cedida por Ricardo Frontera

Estação de Água Clara em 1979. Foto José H. Bellorio

Fachada da estação de Água Clara em 2001. Foto José H. Bellorio

Estação de Água Clara em 2001. Foto José H. Bellorio

Placa da quilometragem de Água Clara em 2001. Notar como as quilometragens se alteram com o tempo. Foto José H. Bellorio

Estação de Água Clara em 30/7/2012. Foto Sérgio W. Annibal

Estação de Água Clara em 30/7/2012. Foto Sérgio W. Annibal
 
     
Atualização: 18.12.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.