A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
São Domingos
Pombal
Arruda Câmara
...

Ramal de C. Grande-1958
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Rede de Viação Cearense (1932-1958)
Rede Ferroviária do Nordeste (1958-1975)
RFFSA (1975-1997)
POMBAL
Município de Pombal, PB
Ramal de Campina Grande - km 458 (1960)   PB-3172
Altitude: 178 m   Inauguração: 24.10.1932
Uso atual: em pé; uso desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal da Paraíba foi aberto ao tráfego entre 1923 e 1926, partindo da estação de Arrojado, na linha da antiga E. F. Baturité, construída em 1922 especialmente para dar partida para os trens do ramal. Entrava pela Paraíba e parava na cidade de Souza. Nesta cidade, a partir de 1933, encontrou-se também a linha Mossoró-Souza, vinda do Rio Grande do Norte. O ramal da Paraíba ainda foi prolongado até Patos, em 1944, e em 1958, com a união desta cidade com Campina Grande, foi definitivamente incorporado pela Rede Ferroviária do Nordeste, completando a ligação do Ceará com o resto do Brasil, via Paraíba e Pernambuco.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pombal foi inaugurada em 1932 pela Rede de Viação Cearense, como ponta de linha do primeiro prolongamento do ramal da Paraíba. Em 1958, a Rede Ferroviária do Nordeste terminou e entregou a ligação ferroviária entre as estações de Patos, então já a ponta de linha no ramal da Paraíba desde 1944, e Campina Grande e a RFFSA, já controlando as duas linhas, incorporou não só o trecho Patos-Campina Grande como

ACIMA: "Ponte Vermelha", sobre o Rio Piancó, em Pombal, a cerca de 2 km a oeste da estação desta cidade. Ela tem 168 metros de comprimento e foi construída por volta de 1930/31 pela RVC, com estrutura toda metálica, apoiada em bases de pedra e concreto (Foto de autor desconhecido nos anos 1950, extraída do site: www.marcoslacerda.hpg.ig.com.br).
também o trecho Souza-Patos, onde se encontrava a estação de Pombal, à rede da RFN. "Falem-me de Pombal! Digam-me das suas ruas antigas. Da feira aos sábados com os cordelistas do Pavão Misterioso e Lampião no inferno. Falem-me do banho no rio, do violão de Bideca, da cachaça gostosa, do futebol nos bancos de areia e da bolacha peteca na padaria de seu Napoleão. (...) E o tempo passando por nós. Falem-me do grupo João da Mata, O bloco de sujos batendo lata pelas ruas de Pombal. Digam que ainda escuto o apito do trem Asa Branca chegando numa estação com seus passageiros apressados que não se reconhecem mais. Alguém, fale-me de Pombal!" (Pombal em Saudades, Jerdivan Nóbrega de Araújo, João Pessoa, PB). A estação de Pombal está tombada pelo IPHAEP da Paraíba. "Quando eu cheguei aqui, o cabaré mais afamado era o de Love, pois já fazia cerca de uns vinte anos que tinha cabaré. Mas me lembro do trem de passageiros que passava, trazendo toda sexta-feira as mulheres que vinham de Campina Grande e de outras partes, para fazer a feira e as festas nessa rua, quando era no sábado a tardinha o trem fazia baldeação em Sousa e levava as mulheres para as suas freguesias. Você imagine que ali na frente tinha um cabaré com uma espécie de parada do trem, elas desciam naquele pátio grande, eram cerca de quarenta, cinqüenta mulheres, cada uma delas bem trajada e cada qual mais bonita do que a outra. Aqui era uma festa só, não existia nada lá para o centro depois das nove horas da noite, não, tudo era aqui, na Rua da Rodagem, coisa muito diferente do que a gente vê hoje, acabou! Acabou os movimentos, porque deixaram de vir. Aqui era muito violento (...)" (Parte de texto de livro sobra a cidade de Pombal não mencionado e enviado por Wanderley Duck).
(Fontes: Jonatas Rodrigues; Wanderley Duck; Alberto Martins da Matta; Roosevelt Reis; www.marcoslacerda.hpg.ig.com.br; Jerdivan Nóbrega de Araújo: Pombal em Saudades - Expedição Terra da Gente, Paraíba, 2007; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Pombal nos anos 1980. Acervo Jonatas Rodrigues

A estação de Pombal, em 2005. Foto Carlos Alberto Martins da Matta

A estação em 2007. Foto Expedição Terra da Gente, Paraíba

A estação em 1909. Autor desconhecido. Cessão Roosevelt Reis
   
     
Atualização: 09.07.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.