A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Pereira Lima
Barreiros
...

Linha Sul (1940)
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Tamandaré (1908-1912)
Great Western (1912-1950)
Rede Ferroviária do Nordeste (1950-c.1975)
BARREIROS
Município de Barreiros, PE
Ramal de Barreiros - km 142 (1960)   PE-3384
Altitude: 16 m   Inauguração: 1908
Uso atual: moradia (2007)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Tamandaré, que partia da estação de Ribeirão, na linha Sul da RFN desde 1908, foi adquirida pela Great Western em 1912 e se tornou o ramal de Barreiros, com pouco mais de 55 km de extensão. Este seguiu operando até a primeira metade dos anos 1970, quando foi desativado.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Barreiros foi oficialmente aberta em 1912; porém, já devia existir, pois esta data é a data de compra da E. F. do Tamandaré, então pertencente à Companhia Geral de Melhoramentos de Pernambuco (nota: também há referências a ela como E. F. Tamandaré a Barra de Jangada, cujo principal acionista seria o Coronel Joaquim Veríssimo do Rego, no site www.bndes. gov.br/conhecimento/revista/rev1707.pdf), à qual pertencia a estação, pela Great Western Railway. Essa ferrovia tinha pouco mais de 55 km de extensão e sua compra pela GWB foi autorizada pelo decreto 9.228 de 20/12/1911. Por ele, a GWB ficava obrigada a respeitar os direitos e interesses do Estado de Pernambuco decorrentes da ocupação a título precário, do leito da antiga ferrovia. A E. F. de Tamandaré existia desde 1908 - o que nos faz presumir que a estação de Barreiros já existisse desde então. Teria esta a função (e posteriormente o ramal) de ligar a linha Sul à Usina Central de Barreiros. que, por sua vez, tinha a maior ferrovia de usina do País, com 125 km de linhas e cerca de 41 locomotivas? Porém, temos de lembrar que, na praia do Gravatá, até meados do século XX, havia um arruado com casas e armazéns, porto marítimo e um terminal da estrada de ferro da usina. Se ela já se ligava com um porto próprio, para que escoar a produção para o norte até Recife? "Com a desativação do porto e terminal açucareiro, as estruturas e habitações foram desmontadas, não deixando na área lembranças dos áureos tempos" (segundo www.museudouna. com.br). Uma das locomotivas da usina, fechada há muito tempo, está hoje preservada em Campinas, SP, e funcionando. Ainda há registros de trens correndo pelo ramal em 1972, mas já não mais no início de 1976. Em 1987, a ferrovia da usina ainda estava em funcionamento, segundo Bertrando Bernardino, diretor do Museu do Una, em São José da Coroa Grande, município desmembrado de Barreiros em 1964 e onde boa parte da usina estava localizada. A usina, por sua vez, fechou em 1996. O prédio da estação ainda existia em péssimo estado de conservação e servindo como moradia em 2007. Um adendo: a estação de Barreiros, embora tivesse no dístico o nome da cidade, era conhecida como Estação do Baeté e não com o nome da cidade. Nesta estação não somente chegavam os trens da Great Western e depois da RFN e RFFSA como também partiam e chegavam composições da ferrovia da usina Barreiros.
ACIMA: Locomotiva que rodou nas linhas da Usina Barreiros até sua desativação. Por volta do ano 2000, esta carcaça ainda estava na usina já fechada (Foto Sergio Romano).

ACIMA: Mapa do município de Barreiros nos anos 1950; de Rio Formoso a Barreiros, o ramal da RFN. De Barreiros a Gravataí (porto), a ferrovia pertencia à usina. As outras ferrovias são também de usinas, uma métrica (a nordeste) e outra (para oeste) de bitola de 60 cm. Nada disso existe mais (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume IV, 1958). ABAIXO: Usina Barreiros - CLIQUE SOBRE A FOTO PARA LER MAIS SOBRE A USINA EM 1948 (Folha da Manhã, 20/6/1948).
(Fontes: Nicholas Burman; Sergio Romano; Bertrando Bernardino; Estevão Pinto: História de uma estrada de ferro no Nordeste, 1949; www.museudouna.com.br; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volumes IV e XVIII, 1958 www.bndes.gov.br/conhecimento/revista/rev1707; www.cprh.pe.gov.br/downloads; Guias Levi, 1932-82; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Esplanada da Usina Central Barreiros, anos 1950. Alguns vagões aparecem nos trilhos. Seria este local próximo à estação da RFN? Foto da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, volume IV, 1958

A estação de Barreiros, em 2007. Foto Bertrando Bernardino

A estação de Barreiros, em 2007. Foto Bertrando Bernardino
   
     
Atualização: 03.04.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.