A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Timbó-Açu
Escada
Barão de Suassuna
...

Linha Sul (1940)
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Recife ao São Francisco (1860-1901)
Great Western (1901-1950)
Rede Ferroviária do Nordeste (1950-1975)
RFFSA (1975-1996)
ESCADA
Município de Escada, PE
Linha Sul - km 58 (1960)   PE-3144
    Inauguração: 30.11.1860
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Sul, ou Recife-Maceió, é uma junção de três ferrovias: a E. F. Recife ao São Francisco, aberta entre 1858 e 1862 (foi a segunda ferrovia a ser aberta no Brasil), a E. F. Sul de Pernambuco, entre 1882 e 1894 e a E. F. Central de Alagoas, aberta em trechos entre 1871 e 1884, arrendada em 1880 à The Alagoas Railway Co. A primeira ligou Recife a Una (hoje Palmares), a segunda Una a Imperatriz (hoje União dos Palmares) e a terceira, Imperatriz a Maceió. Em 1901, a Great Western do Brasil Railway Co., empresa inglesa, ganhou a concessão das duas primeiras e, em 1903, a da última, unindo as linhas e diminuindo a bitola da primeira, em 1905, de 1.60 m para métrica. Em 1950, o Governo da União encampou a Great Western, transformando-a na Rede Ferroviária do Nordeste (RFN), que passou a ser um das subsidiárias da RFFSA em 1957 e que foi finalmente incorporada em uma de suas superintendências regionais em 1975. Finalmente, em 1997, foi cedida em concessão para a CFN - Cia. Ferroviária do Nordeste. Os trens de passageiros seguiram até os anos 1980. Somente sobram hoje os trens de subúrbio de Maceió e de Recife, que percorrem as duas pontas da linha.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Escada foi inaugurada em 1860. "A estação da Escada e suas dependências estão construídas, e têm as acomodações necessárias ao tráfego do lugar" (Relatório apresentado à assembléia Legislativa Provincial de Pernambuco em 1o de abril de 1861). Como escreveu Jorge de Lima no seu livro Colunga, de 1943: "As estaçõezinhas vinham vindo ligeiras aos olhos de Lula. (...) Lula achava um encanto novíssimo nas casinhas das margens, na população esperando esse trem do domingo: caboclos, caixeiros, meninas namoradeiras, cegos cantando, aleijados, feridentos com úlceras cheias de moscas, expondo as moléstias aos passageiros para arranjar esmolas. Estação de Escada, o condutor zangadíssimo. Olha pitus! Bolo! Bolo! Óia os bolos! Bolo! Rolete de cana! Laranja cravo!" Desde

ACIMA: O município de Escada, nos anos 1950. Nota-se algumas estações na linha Sul da RFN, que corre do leste para o noroeste, passando pela sede do município. Vêem-se também diversas ferrovias particulares de usinas, algumas delas bem afastadas da rede da RFN (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume IV, 1958).
2000, não passam trens pela antiquíssima estação: a linha entre Cabo e o sul de Alagoas foi totalmente abandonada pela CFN, sua atual concessionária. O prédio foi demolido - não sei quando -, somente sobrando uma pequena construção sobre a plataforma, ainda com um dístico com o nome da estação.
(Fontes: Elias Vieira, 2007; Augusto Stahl; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume IV, 1958; Jorge de Lima: Colunga, 1943; Relatório apresentado à Assembléia Legislativa Provincial de Pernambuco, 1861; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-1982; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A primitiva estação de Escada, logo após sua inauguração, anos 1860. Foto Augusto Stahl

A primitiva estação de Escada, logo após sua inauguração, anos 1860. Foto Augusto Stahl

A plataforma, um pequeno prédio ainda perto de uma das extremidades e o mato na linha que não vê trem desde 2000. Foto Elias Vieira, 10/2007
     
Atualização: 18.09.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.