A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Minduí
Mallet
Dorizon
...

IBGE - 1957

Itararé-Uruguai, PR- 1965
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

 
C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1903-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1994)
MALLET
Município de Mallet, PR
linha Itararé-Uruguai - km 433,991 (1936)   PR-0078
Altitude: 835 m   Inauguração: 01.12.1903
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1903
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Itararé-Uruguai, a linha-tronco da RVPSC, teve a sua construção iniciada em 1896 e o seu primeiro trecho aberto em 1900, entre Piraí do Sul e Rebouças, entroncando-se em Ponta Grossa com a E. F. Paraná. Em 1909 já se entroncava em Itararé, seu quilômetro zero, em São Paulo, com o ramal de Itararé, da Sorocabana. Ao sul, atingiu União da Vitória em 1905 e Marcelino Ramos, no Rio Grande do Sul, divisa com Santa Catarina, em 1910. Trens de passageiros, inclusive o famoso Trem Internacional São Paulo-Montevideo, este entre 1943 e 1954, passaram anos por sua linha. Os últimos trens de passageiros, já trens mistos, passaram na região de Ponta Grossa em 1983. Em 1994, o trecho Itararé-Jaguariaíva foi erradicado. Em 1995, o trecho Engenheiro Gutierrez-Porto União também o foi. O trecho Porto União-Marcelino Ramos somente é utilizado hoje eventualmente por trens turísticos de periodicidade irregular e trens de capina da ALL. O trecho Jaguariaíva-Eng. Gutierrez ainda tem movimento de cargueiros da ALL.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi aberta como Marechal Mallet, em 1903, no povoado de São Pedro de Mallet. Deu origem à cidade. O nome foi dado em homenagem ao engenheiro militar João Nepomuceno de Medeiros Mallet, natural de Bagé, no RS. e não ao marechal francês (Émile Mallet) que combateu do lado brasileiro na Guerra do Paraguai. Eram parentes. Mais tarde o nome da cidade foi simplificado para Mallet.

Vilson Luis Zvir
enviou uma foto (ver abaixo) do pátio e da cidade em 1948: "Nela aparece em primeiro plano, bem abaixo e um pouco à direita, o depósito da estação, mais para a esquerda há dois barracões que eu não sei o que eram; pode se ver uma casa da vila ferroviária, vagões no desvio, e uma composição provavelmente recolhendo passageiros, pois está na linha principal. Da estação só aparece o telhado, porque está encoberta pelo depósito de mercadorias. Subindo um pouco mais acima na margem direita da foto aparece o bar do "Carole" é aquele que na água do telhado tem quatro janelinhas, e esse foi durante anos um grande ponto de encontro na cidade, quando começou a circular na cidade os primeiros ônibus, foi aí o terminal rodoviario de Mallet, até o final dos anos 1980. Um pouco mais acima, também do lado direito, aparece a prefeitura municipal, é o prédio branco de dois pavimentos, encostado a enormes árvores. E na parte mais alta da foto quase no centro aparece a Igreja Ucraniana, ainda sem a cúpula, e é o predio branco de telhado bem inclinado, arrodeado de arvores por todos os lados".

A estação sempre foi de madeira até ser demolida, em janeiro de 1993. Os trilhos foram retirados no trecho por volta de 1996.

(Fontes: Luciano Pavloski; Vilson Luiz Zvir; Flavio Cavalcanti; Paulo Castagnet; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1909-80; RVPSC - Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Marechal Mallet, por volta de 1905. Cartão postal. Autor desconhecido

Estação de Marechal Mellet, provavelmente anos 1930. Autor desconhecido. Cessão Flávio Cavalcanti

Pátio, em primeiro plano, e a cidade de Mallet em 1948. A estação está encoberta pelo armazém, somente dá para ver parte do telhado. Foto cedida por Vilson Luiz Zvir

A estação em 1980. Foto cedida por Luciano Pavloski

A estação em 1980. RFFSA

A plataforma (da direita) era da estação demolida, em 6/8/2000. A da esquerda, do armazém. Foto Luciano Pavloski
     
Atualização: 07.10.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.