A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Itaúna
Silva e Oliveira
Azurita
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

 
E. F. Oeste de Minas (1924-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
SILVA E OLIVEIRA
Município de Itaúna, MG
Linha Belo Horizonte-Garças - km 812,270 (1962)   MG-1488
Altitude: 947 m   Inauguração: 12.10.1924
Uso atual: desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Belo Horizonte-Garças de Minas foi aberta entre 1911 e 1916 pela E. F. Oeste de Minas, ligando a capital a Garças, na época parte da E. F. Goiaz e situada na zona de mineração mineira, próxima a Goiás. Somente em 1920 foi construída a estação prórpia da EFOM na capital. A linha funciona até hoje para cargueiros, tendo sido na década de 1970 o seu início na capital fundido com a Linha do Paraopeba, da Central do Brasil. O seu trecho na região metropolitana de Belo Horizonte recebeu trens de subúrbio por muitos anos, e a partir dos anos 1990 passou a ter a linha do metrô acompanhando de perto a sua linha, que ficou somente para movimento dos trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Silva e Oliveira foi inaugurada em 1924 com o nome de Morro Grande. Depois chamou-se Inspetor Silva e Oliveira, depois encurtado para o atual. Não sei de sua situação hoje. O último prédio não era mais o original. Cerca de 1,5 km antes dela, entre a estação e a de Azurita, existiu uma parada que teria tido o mesmo nome: Parada Silva e Oliveira. Desta somente resta a plataforma. Teria sido este o local da estação original, levada anos mais tarde para a posição atual, claramente preenchida com um prédio estilo anos 1960/70 da RFFSA? Da parada somente resta a

ACIMA: Plataforma da antiga parada Silva e Oliveira junto a uma passagem de nível 1,5 km antes da estação do mesmo nome (Foto Pedro Paulo Rezende em 8/9/2012).
plataforma de pedra. Segundo Pedro Rezende (2012), esta parada fica cerca de 1,5 km antes da antiga estação de mesmo nome, da RFFSA. Situa-se nas proximidades do atual carregamento de minério de Azurita. As composições usam o pátio da estação Silva e Oliveira da RFFSA para manobras e passam por esta parada no retorno a Azurita. A estação RFFSA foi construída em local onde se permite cruzamentos de trens. Esta parada que aqui vemos fica situada no alto de uma subida íngreme e de curvas bem apertadas, o que dificultou a construção de um pátio de cruzamento de trens, apesar de se situar muito mais perrto do asfalto que liga Azurita a Itaúna.
(Fontes: Pedro Paulo Rezende; Edernilton __; Guia Geral de Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação de Silva e Oliveira, em 1988. Foto Edernilton

A estação de Silva e Oliveira, em 1988. Foto Edernilton
   
     
Atualização: 14.10.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.