A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Beleza
Barra do Quaraim
...

Mapa da linha - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
The Brazil Great Southern Railway Co. Ltd. (1887-1924)
Inspetoria Federal das Estradas de Ferro (1924-1933)
V. F. Rio Grande do Sul (1933-1965)
BARRA DO QUARAIM
Município de Barra do Quaraí, RS
Linha São Borja-Barra do Quaraim - km 983,767 (1960)   RS-0672
Altitude: 81 m   Inauguração: 20.08.1887
Uso atual: moradia (2011)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1887
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha de Barra do Quaraim-São Borja foi inaugurada pela The Brazil Great Southern Railway Co. (BGS) em 1887 no trecho de Uruguaiana a Barra do Quaraim, e em 1888 no trecho Uruguaiana-Itaqui. Somente em 1913 alcançou São Borja. Era uma ferrovia construída mais por motivos estratégicos - acompanhava a fronteira com a Argentina ao longo do rio Uruguai - do que econômicos. Em 1924 a ferrovia foi encampada pela União e repassada em 1933 à VFRGS. Em 1 de dezembro de 1961, a linha foi fechada para trens de passageiros no trecho mais antigo, Barra do Quaraí-Uruguaiana. Em 1965, esse trecho foi suprimido, e o trecho entre Uruguaiana e Itaqui foi suprimido em 1974. A linha Itaqui-São Borja, justamente a mais nova, durou até 1980 transportando passageiros, e parece nunca ter sido oficialmente suprimida, embora, se existir, não esteja sendo utilizada.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Barra do Quaraim, ou Barra do Quaraí, foi inaugurada em 1887. Servia à charqueada da "Companhia Saladera Barra do Quaraí", fundada em 1887, mesmo ano da abertura da linha.

Em Barra do Quaraim a ferrovia se entroncava com a North Western of Uruguay Railways. "O início da linha estava na cidade de Salto, no Uruguai. Chegou a Cuareim, na fronteira com o Brasil, em abril de 1887, embora ainda não cruzasse o rio Quarai até o Brasil. Posteriormente outra empresa britânica construiu a ponte e a interconexão com as ferrovias brasileiras. No lado uruguaio, a ferrovia foi construída para superar as corredeiras de Salto Chico e de Salto Grande sobre o rio Uruguai, para permitir o transporte de mercadorias e madeiras. Em Porto Cuareim se carregava principalmente madeira. As vias desta ferrovia foram abandonadas nos anos 1990 e hoje estão bastante depredadas. As pontes estão em pé" (Gunnar Gil, Salto, Uruguai, 09/2006).

No dia 22 de agosto de 1908, os jornais anunciaram que no dia 4 de outubro partiria "o primeiro trem continental que, cruzando a fronteira, irá até Porto Alegre". (O Estado de S. Paulo, 22/8/1908). Como ainda não existia a linha até Livramento, o trem seguiria realmente pela ponte sobre o rio Quaraí, seguindo até Uruguaiana, cuja ligação com Alegrete estava sendo finalizada nessa época, e por ali seguiria para Porto Alegre.

A linha funcionou para trens de passageiros até 1 de dezembro de 1961. A estação foi, na época, transformada em estação rodoviária. Até aí, por uma ponte metálica sobre o rio Quaraí passavam os trilhos que seguiam da estação da Barra de Quaraim - onde se fazia o transbordo - até à estação de Cuareim no Uruguai.

A ponte ainda existia em 2011, com os trilhos da bitola uruguaia. O trecho entre a ponte internacional e a estação de Cuareim, 2 a 3 km dentro do Uruguai, estava com o tráfego suspenso desde os anos 1970, a linha de Cuareim até Baltazar Brum e Salto - tudo dentro do Uruguai - não tem mais tráfego desde 01/01/1988, mas os trilhos permaneciam ali.

O prédio da estação de Barra do Quaraim funcionava em 2011 como moradia e estava em péssimo estado de conservação, uma sujeira só.

1920
À ESQUERDA: O povoado ganha o nome 12 anos antes da abertura da estação (O Estado de S. Paulo, 17/1/1920).

1921
À ESQUERDA: O presidente do Uruguai visita a estação sem avisar antes - CLIQUE SOBRE O TEXTO PARA VÊ-LO INTEIRO (O Estado de S. Paulo, 29/4/1921).

ACIMA: Pátio da estação de Barra do Quarahim, provavelmente anos 1930 (Acervo Gunnar Gil).

ACIMA: Vista da ponte a partir do Brasil, não há mais trilhos (Foto João Róger de Souza Sastre em agosto de 2008).

ACIMA: Vista da ponte a partir do Uruguai: lá ainda existem os trilhos seguindo para Montevideo, mas tudo está encoberto pela vegetação (Foto João Róger de Souza Sastre em agosto de 2008).

(Fontes: Gunnar Gil; Samuel Rachdi; João Roger de Souza Sastre; VFRGS: Relatórios, 1920-68; Eng. Ariosto Borges Fortes: VFRGS, suas estações e paradas, 1962; IPHAE: Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, 2002; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1940-81; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 2002. Foto do livro Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, p. 80

A estação em 2008. Foto João Roger de Sousa Sastre

A estação em 2008. Foto João Roger de Sousa Sastre

A estação em 2008. Foto Roger de Sousa Sastre
   
     
Atualização: 21.09.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.