A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Campo Alegre
Aterrado
Brotas
...

Tronco oeste CP-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1929-1971)
FEPASA (1971-1998)
ATERRADO
Município de Brotas, SP
Ramal de Jaú - km 23,690   SP-0956
Linha-tronco oeste - km 198,060   Inauguração: 1929
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1929 (já dmeolida)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O chamado tronco oeste da Paulista, um enorme ramal que parte de Itirapina até o rio Paraná, foi constituído em 1941 a partir da retificação das linhas de três ramais já existentes: os ramais de Jaú (originalmente construído pela Cia. Rio-clarense e depois por pouco tempo de propriedade da Rio Claro Railway, comprada pela Paulista em 1892), de Agudos e de Bauru. A partir desse ano, a linha, que chegava somente até Tupã, foi prolongada progressivamente até Panorama, na beira do rio Paraná, onde chegou em 1962. A substituição da bitola métrica pela larga também foi feita progressivamente, bem como a eletrificação da linha, que alcançou seu ponto máximo em 1952, em Cabrália Paulista. Em 1976, já com a linha sob administração da FEPASA, o trecho entre Bauru e Garça que passava pelo sul da serra das Esmeraldas, foi retificado, suprimindo-se uma série de estações e deixando-se a eletrificação até Bauru somente. Trens de passageiros, a partir de novembro de 1998 operados pela Ferroban, seguiram trafegando pela linha precariamente até 15 de março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação atual de Aterrado foi construída em 1929 para substituir a antiga, aberta em 1901, e agora fora do leito depois da retificação da linha. Ficava a uns dois quilômetros ao norte da SP-225, no km 119, seguindo por uma estrada de terra,

ACIMA: (esquerda) O abandono da estação de Aterrado já vem de 1988, quando as fotos do seu interior foi tomada. (direita) No mesmo dia de 1988, a cobertura da plataforma ainda existia (Fotos Nilton J. Gallo, 1988).
que passa dentro de um laranjal. Ela estava atrás desse laranjal e completamente isolada, em completo abandono. O telhado havia caído e somente as paredes estavam de pé, isto em 2001. Na verdade, o abandono já vinha dos anos 1980: em 1988, as fotos no pé da página e as acima mostram isso. Em 2009, a cabina de controle ainda estava de pé, mas a estação já fora demolida, ou caiu... o fato é que não existe mais. (Veja também ATERRADO-VELHA)
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Koracsony; Nilton J. Gallo; Edson Castro; Relatório de Instalações Fixas, 1982; Cia. Paulista: Relatórios anuais, 1892-1969; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação do Aterrado em 1982. Foto FEPASA

Estação do Aterrado, em 1988. Foto Nilton J. Gallo

Estação do Aterrado, em 1988. Foto Nilton J. Gallo

Em 15/04/1998, as ruínas da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 15/04/1998, as ruínas da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

A cabine de controle, em 15/04/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 18/01/2001, a estação ainda agüenta a ação do tempo. Foto Edson Castro

Em abril de 2009, só sobra mesmo a depredada cabine de controle. A estação não mais existe. Foto Ricardo Koracsony
 
     
Atualização: 28.01.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.