A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Aterrado
Brotas
Espraiado
...

Tronco oeste CP-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2012
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1929-1971)
FEPASA (1971-1998)
BROTAS
Município de Brotas, SP (veja a cidade)
Ramal de Jaú - km 33,208
Linha-tronco oeste - km 207,578
  SP-1027
Altitude: 621 m   Inauguração: 1929
Uso atual: escritório da Prefeitura (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1929
 
 
HISTORICO DA LINHA: O chamado tronco oeste da Paulista, um enorme ramal que parte de Itirapina até o rio Paraná, foi constituído em 1941 a partir da retificação das linhas de três ramais já existentes: os ramais de Jaú (originalmente construído pela Cia. Rio-clarense e depois por pouco tempo de propriedade da Rio Claro Railway, comprada pela Paulista em 1892), de Agudos e de Bauru. A partir desse ano, a linha, que chegava somente até Tupã, foi prolongada progressivamente até Panorama, na beira do rio Paraná, onde chegou em 1962. A substituição da bitola métrica pela larga também foi feita progressivamente, bem como a eletrificação da linha, que alcançou seu ponto máximo em 1952, em Cabrália Paulista. Em 1976, já com a linha sob administração da FEPASA, o trecho entre Bauru e Garça que passava pelo sul da serra das Esmeraldas, foi retificado, suprimindo-se uma série de estações e deixando-se a eletrificação até Bauru somente. Trens de passageiros, a partir de novembro de 1998 operados pela Ferroban, seguiram trafegando pela linha precariamente até 15 de março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: Em 1929, uma retificação do trecho Itirapina-Jaú deslocou a linha do ramal de Jaú para o leito atual, e a nova estação de Brotas, a terceira desde 1885 em um ponto diferente, foi construída fora da cidade, nos limites da zona urbana. A Paulista, desta vez, construiu uma rua pavimentada para atingir a estação. Essa foi a terceira estação da cidade, em três pontos diferentes.

Em 1941, a abertura dos trilhos de bitola larga e da eletrificação da linha que agora chegava diretamente a Bauru sem mudança de linha aumentou o movimento da estação.

Esteve em estado de abandono durante muitos anos. Recentemente foi reformada pela Prefeitura.

"Eu gostava mais de ir a Brotas antigamente. Eu passei a minha infância indo e vindo de São Paulo para lá, sempre de trem, isto no fim dos anos 1950, e durante os 1960. Era tudo muito diferente. A gente
descia na estação, ainda bem cuidada, e tomava aqueles táxis, na maioria Fordinhos 1929, ainda muito comuns no interior nessa época. O taxi que mais nos levava era de um senhor chamado Miguel Osti. Dali íamos para a fazenda Três Saltos, da família. Cruzávamos a cidade e daí pegávamos a estrada, de terra, cheia de curvas e estreita, no meio do mato. Era lindo, não tinha a estrada de asfalto que tem hoje e vai para Jaú. Tudo mudou, não tem mais graça..." (Andreas José de Albuquerque Schmidt, julho/2000).

Em 2011, a estação servia como escritório e o armazém, como depósito, tudo da Prefeitura.

(Veja também: BROTAS-ORIGINAL; BROTAS-VELHA) CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE (gentileza Antonio Carlos Mussio)

ACIMA: A locomotiva elétrica V-8 da Fepasa e que um dia foi da Companhia Paulista chegava a Brotas, vinda de Espraiado e seguiria para São Paulo levando passageiros! Parece mentira, mas esses tempos existiram, como este dia 16 de junho de 1979. Pátio limpo, estação limpinha, cabine de controle funcionando... (Foto Andreas José de A. Schmidt). ABAIXO: Casas da vila ferroviária em Brotas. Elas ficam num nível elevado em relação à estação, atrás dela, e são alcançadas a partir desta por uma escadaria de alvenaria (Fotos Julio Cesar de Paiva, 30/10/2008).



AO LADO: A população queixou-se da notícia da supressão de trens rápidos de luxo pela Paulista em 1959 (Folha da Manhã, 2/8/1959).

ACIMA: A bela cobertura de ferro da entrada da estação pode ser bem vista aqui nesta foto de 2014 (Autor: Roberto Garcia). ABAIXO: Estação e armazém em 29/12/2015 (Foto Wilson de Santos Jr.)
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Andreas J. A. Schmidt; Roberto Garcia; Edson Castro; Nilson Rodrigues; Wilson de Santos Jr.; Hélio Ribeiro; Folha da Manhã, 1959; Cia. Paulista: Relatórios anuais, 1892-1969; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Foto rara de Brotas, entre 1930 e 1941, período em que por ali ainda passavam os trilhos em bitola métrica. Foto cedida por Nilson Rodrigues

A plataforma da estação em 1995. Foto Edson Castro

A estação em 1995. Foto Edson Castro

A fachada da estação em 4/1/1997. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 4/1/1997. Foto Ralph M. Giesbrecht

O depósito ao lado da estação, em 05/2005. Foto Hélio Ribeiro

A estação, em 05/2005. Foto Hélio Ribeiro

A estação, em 05/2005. Foto Hélio Ribeiro

A estação em 31/12/2011. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 29/12/2015. Foto Wilson de Santos Jr.
   
     
Atualização: 06.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.