A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Quilômetro 367
Avaré
Ouro Branco
...

Tronco EFS - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...

 
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1896-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1953)
AVARÉ
Município de Avaré, SP
Linha-tronco original - km 384,699; km 372,375 (1934) (*)   SP-0584
Altitude: 752 m   Inauguração: 16.05.1896
Uso atual: abandonada (2011)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1939
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Avaré foi inaugurada em 1896 como ponta de linha.

Em 1918, a estação foi fechada para cobrança de ingressos: "por ser impossível a cobrança de ingressos em Avaré, tornou-se necessário o fechamento do edifício da estação e parte do pateo". Nessa época, "fechar" uma estação significava cercar o seu pátio e fazer uma entrada para controlar o acesso de pessoas a ela; no meio destas, pessoas que passavam diretamente para a plataforma e não pagavam as passagens. O fechamento resolvia, ou pelo menos melhorava muito, a situação.

Em 1939, foi entregue um novo prédio para a estação.

Com a retificação da linha na região de Avaré, em 1953, desativou-se a estação de 1939 e inaugurou-se uma
nova no lado sul da cidade, para onde os trilhos foram transferidos.

Mais tarde, no leito por onde passavam os trilhos, construiu-se uma avenida, mas grande parte da vila ferroviária foi conservada e está lá até hoje.

A estação, em 2010, não estava bem
conservada, estava parcialmente descaracterizada no lado da plataforma de embarque, e estava ocupada em parte por uma academia de esportes.

Em 8 de novembro de 2011, pegou fogo. O incêndio conseguiu ser controlado, mas ela já estava abandonada então. De lá para cá, o que sucedeu com o velho prédio é uma incógnita.

(Veja também AVARÉ-NOVA)
CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE
(gentileza Adriano Martins)

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Reforma no abastecimento de água; aumento no escritório da Residência; demolição da privada da estação

ACIMA: Trem sanitário em frente à estação de Avaré em agosto de 1932, durante a revolução; Notar os dois torreões da estação aparecendo acima dos carros: "Em meio aos combates da Revolução Constitucionalista, um trem sanitário parou na cidade. A histórica fotográfica mostra de terno e chapéu pretos, o médico José Bastos Cruz, o Doutor Zezé, ex-prefeito e futuro deputado, entre dirigentes locais e soldados das tropas voluntárias que lutaram na chamada Guerra Paulista. Felizmente, ninguém de Avaré pereceu nesse conflito" (Texto: Gesiel Júnior. Foto: autor desconhecido).
ACIMA: mapa da região central de Avaré em junho de 1939, com a estação e triângulo de reversão (Acervo Instituto Geográfico e Cartográfico de São Paulo). ABAIXO: A linha passa por Avaré, ao norte da zona urbana em 1945 (Mapa do IGCESP, Acervo Ralph Mennucci Giesbrecht).

ACIMA: Detalhe da estação (Foto Ana Giesbrecht, 2004).


AO LADO: Casa de turma próxima (Foto Ana Giesbrecht, 2004).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ana Maria Giesbrecht; Daniel Gentili; Gesiel Júnior; Adriano Martins; Cesar Sacco; Flavio Cavalcanti; O Estado de S. Paulo, 1953, 1956 e 1958; Joaquim Vieira Ferreira Sobrinho: Studio Geografico, 1909; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1890-1969; IGCESP; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Avaré em 1910. Studio Geografico, 1910

A estação de Avaré em 1914. Autor desconhecido

Prédio antigo da estação de Avaré, sem data. Foto dos arquivos do Museu de Jundiaí

A velha estação, talvez anos 1930. Autor desconhecido

A estação de Avaré, provavelmente anos 1940. Foto enviada por Cesar Sacco

A fachada da estação, ainda funcionando, em 1941. Acervo Flavio Cavalcanti

Antiga plataforma de Avaré (25/06/2000). Foto Ralph M. Giesbrecht

Fachada da antiga estação, em 25/06/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

A fachada, de outro ângulo (25/06/2000). Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 9/2010. Foto Adriano Martins
   
     
Atualização: 24.12.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.