A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Anum
Palmeira dos Índios
Igaci
...

Ramal do Colégio (1940)
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Great Western (1933-1950)
Rede Ferroviária do Nordeste (1949-1975)
RFFSA (1975-1996)
PALMEIRA DOS ÍNDIOS
Município de Palmeira dos Índios, AL
Ramal de Colégio - km 453 (1960)   AL-3989
Altitude: 391 m   Inauguração: 25.12.1933
Uso atual: biblioteca (2007)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal do Colégio, que somente tomou este nome quando atingiu a estação de Porto Real do Colégio em 1950, foi aberto aos poucos a partir da estação de Lourenço de Albuquerque, na linha Recife-Maceió da Great Western. Em 1884 estava em Urupema, em 1891 avançou até Viçosa, em 1912 em Quebrangulo. Somente em 1933 chegou a Palmeira dos índios, para somente 14 anos depois recomeçar a sua marcha para o rio São Francisco, onde chegou em 1950. A ponte com a cidade de Propriá no Sergipe somente foi entregue em 1972, facilitando a passagem dos trens, que antes passavam por barcos e balsas. Em 2000, a queda de uma ponte e de barreiras no ramal o interromperam até 2007, quando se começou a fazer a recuperação do ramal pela CFN, concessionária do trecho desde 1997. Os trens de passageiros não existem mais desde por volta de 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Palmeira dos Índios foi inaugurada em 1933. "A estação ferroviária de Palmeira dos Índios era puro abandono até 2001, quando foi doada pela Rede Ferroviária Nacional ao Museu dos Xukurus. O prédio foi reformado, em 2001, pela Prefeitura da cidade e transformado na Biblioteca Graciliano Ramos, que tem 30 mil livros em suas prateleiras. É o maior acervo de todas as poucas bibliotecas que funcionam no interior do Estado. A idéia de transformar a velha estação numa biblioteca - diz o prefeito Albérico Cordeiro - surgiu de viagem ao interior da Inglaterra" (Jornal Gazeta, 14/10/2007).

ACIMA: Pátio da estação com o armazém e o galpão de manutenção, em dezembro de 2008 (Foto Cristiano Soares). ABAIXO: Cena rara tomada em 10/6/2010: Uma composição junto à estação. É da CFN - atual Transnordestina - e ainda com as cores da RFFSA, que a CFN nem se deu ao trabalho de repintar. Numa linha com movimento praticamente nulo, uma raridade. Dez dias depois, inundações destruiriam boa parte da linha (Foto PANORAMIO).

































ACIMA: A demora para colocar a linha que chegava a Palmeiras em 1931 revoltou a população (Folha da Manhã, 22/1/1931).
AO LADO: Parte inicial de reportagem de página inteira sobre a cidade em 1975 mostrando a violência que ali grassava na época. A estação era rota de saída para quem fugia da bandidagem (O Estado de S. Paulo, 13/4/1975).
(Fontes: Cristiano Soares; Claudio Vitoriano; Elias Vieira; O Estado de S. Paulo, 1975; Gazeta, 2007; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - Acervo Ralph M. Giesbrecht)
     

A estação em 2007. Foto Claudio Vitoriano

A estação em 12/2008. Foto Cristiano Soares

A estação em 5/1/2010. Autor desconhecido
     
Atualização: 27.02.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.