A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Arizona
Afrânio
Mafrense
...

A linha em Pernambuco - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Petrolina-Teresina (1926-1941)
V. F. F. Leste Brasileiro (1941-1972)
AFRÂNIO
Município de Afrânio, PE
Linha Centro - km 711,485 (1960)   PE-3115
Uso atual: centro cultural (2015)   Inauguração: 31.10.1926
Altitude: 508 m   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha da E. F. Petrolina a Teresina foi aberta em 1923 para ligar Petrolina à capital do Piauí, passando pelo extremo oeste do Estado de Pernambuco e subundo pelo sul do Piauí. Como diversas ferrovias no Brasil, suas obras avançaram lentamente. Em 1923 os trilhos levavam até Rajada, vilarejo no meio de nada. Somente em 1926 avançaram até Afrânio. Em 1928, até Mafrense, outro vilarejo e já no Piauí. Em 1936 a Acauã e em 1938 até Paulista (hoje Paulistana). Jamais passou dali. Em 1941, a ferrovia foi incorporada à VFFLB, mas seus trens continuavam partindo de Petrolina: quam vinha de Salvador por Juazeiro tinha de atravessar o rio São Francisco por barcos para pegar o outro trem. A ponte sobre o rio ficou pronta em 1965 e aí os trens passaram a correr direto até Paulistana, vindos de Salvador; mas em 1972 foram desativados a partir de Petrolina, e logo os trilhos da antiga VVFLB foram arrancados. Foi o fim do sonho de se chegar a Teresina pela Bahia.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Afrânio foi inaugurada pela E. F. Petrolina-Teresina em 1926. "Em 1926, a construção da Estrada de Ferro Petrolina/Teresina alcançou a fazenda Inveja, atraindo para aquela localidade pessoas de outras regiões e, também, de área adjacentes, que vinham em busca de trabalho na rede ferroviária, ou procuravam estabelecer-se no comércio. Por essa época, fazia pregações missionárias na região o capuchinho Frei Fortunato, que a 31 de junho de 1927 rezou a 1º missa e lançou a “Pedra do Cruzeiro”, no local onde posteriormente edificou a igreja. Frei Fortunato aconselhou os moradores a mudarem o nome da nova povoação para São João. A fazenda Inveja, que inicialmente pertenceu a Francisco Rodrigues da Silva, foi a seguir vendida a Francisco Rodrigues Coelho, recebeu, ao se tornar povoado, o topônimo de São João. Em 1928, com a inauguração da estação ferroviária, o povoado ficou conhecido pela denominação de São João de Afrânio, que juntamente com os também engenheiros, Mário Leite e Cristovão Pereira de Souza, dirigia os trabalhos de construção da ferrovia" (http://biblioteca.ibge.gov.br). Em 1941, foi incorporada à VFFLB e passou a fazer parte da Linha Centro. Apesar do nome original da estrada, ela jamais chegou a Teresina, parando na cidade piauiense de Paulistânia, não muito à frente de Afrânio, no ano de 1935. Depois de abandonada por 26 anos, em maio de 2000, o prédio da estação foi restaurado e reaberto, agora como centro comunitário e cultural do município de Afrânio, cidade situada a 910 quilômetros do Recife. O prédio passou a ocupar um

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1926 a 1972. Ao lado, o trem da EFPT na estação de Petrolina, nos anos 1920. Veja aqui horários em 1963 e em 1972 (Guias Levi).
pequeno museu, uma área para exposições e um bar. Segundo a mesma reportagem que gerou os dados, o prédio teria pouco mais de meio século. Seria o mesmo que foi aberto em 1926 ou no início o prédio era outro? Afinal, eram já 74 anos nessa data de 2000. O trecho entre Petrolina e Paulistana foi desativado em 1972 (oficialmente, foi "erradicado" em 1/7/1975). Os trilhos foram logo retirados e o empresário José Cristóvão Cavalcanti comprou a estação e doou para o projeto cultural, exigindo que a estrutura do prédio fosse mantida. Ao contrário do que a reportagem fala, a estação de Afrânio surgiu apenas em 1926, o que não é exatamente "no início do século". A estação deu origem à atual cidade. O nome foi uma homenagem ao ex-ministro de Viações e Obras Públicas, Afrânio de Mello Franco. Quando o trem apitava em Croatá, ali perto, boa parte da população se dirigia à estação pára receber e se despedir dos passageiros do trem. Era a única diversão da comunidade. Depois da reforma, virou um bar, mas continua muito bem conservada.
(Fontes: Tarcisio Vilarinho; Jornal do Commercio, Recife, 21/05/2000; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-79; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Afrânio em 2000. Foto Ivan Cruz, Agência Factum, Jornal do Commercio

A estação de Afrânio em 08/2007. Foto Tarcisio Vilarinho
   
     
     
Atualização: 10.05.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.