A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Cardeal
Chave Stein
Elias Fausto
...

seção Ituana - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2015
...
 
E. F. Sorocabana (c.1950-1971)
FEPASA (1971-c.1988)
CHAVE STEIN
Município de Elias Fausto, SP
Ramal de Piracicaba - km 171,00   SP-1155
Altitude: 600 m   Inauguração: 15.09.1958
Uso atual: nenhum (2015)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Piracicaba foi construído pela Cia. Ituana a partir de 1873, partindo da estação de Itaici, na linha, também da Ituana, entre Jundiaí e Itu. Em 1892, houve a fusão com a Sorocabana, formando a Cia. União Sorocabana e Ytuana (CUSY). Em 1893 o ramal chegou a São Pedro, ponto terminal, 58 km à frente de Piracicaba, onde havia chegado em 1877. A Ituana foi definitivamente incorporada pela Sorocabana em 1905, com a compra da CUSY pelo grupo americano de Percival Farquar. O ramal - algumas vezes chamado também de ramal de São Pedro - teve o trecho final, entre Piracicaba e São Pedro,suprimido em 1966 e seus trilhos foram retirados em 1969. O tráfego de passageiros entre Itaici e Piracicaba acabou em 1976, enquanto trens de carga continuaram trafegando cada vez menos até meados dos anos 1980. Por volta de 1990, os trilhos, já abandonados, foram retirados pela agora FEPASA.
 
A ESTAÇÃO: Chave Stein era uma pequena parada, aberta em 15 de julho de 1958, que fiquei surpreso de ainda encontrar em pé em 1998, ao lado da estrada não pavimentada que segue o antigo leito da linha e que liga Cardeal a Elias Fausto, passando ao lado de sedes de antigas fazendas. Chave era o nome comumente dado pelas ferrovias a pequenas paradas, quando existia ali a saída de algum desvio industrial, caso de Stein: havia ali uma serraria onde embarcavam sua produção. Os relatórios da ferrovia, embora citassem por algum período a Chave Leopoldina (um pouco mais à frente), não citam em nenhum momento esta parada. Os moradores de Cardeal referiram-se a ela como "o Stein". Na casinha, ainda havia nessa época a placa de identificação do patrimônio da Fepasa. "Confesso que fiquei comovida de ver a pequena parada de trens chamada Chave Stein, lugar que fez parte da minha

ACIMA: O interior da parada após o restauro ABAIXO: A placa, recém-feita: a antiga, se existiu, já não estva mais lá (Fotos Ralph M. Giesbrecht, 8/10/2015).

ACIMA: Ao lado da parada (ao lado esquerdo), a entrada da fazenda dos Stein e o poste de sinalização do tempo da linha. Não sei se é o original ou se cópia (Foto Ralph M. Giesbrecht, 8/10/2015).
infância e onde brinquei muito, embora já naquela época estivesse desativada. O nome Chave Stein foi adotado pois as duas grandes fazendas à sua volta pertenciam às famílias Stein e Stein Magnusson. Minha avó contava que as pessoas que usavam a pequena parada eram da família ou empregados (meeiros) das duas fazendas. Na época, como o meio de transporte era praticamente só aquele, pois as estradas eram na verdade caminhos de terra e o transporte feito por carroça, a pequena parada era um ponto de referencia para todos que a usavam, era quase como um endereço. "Onde você mora? Na Chave Stein...
" (Anna Claudia Parodi, neta de Anna Guilhermina Stein Magnusson, nascida na Chave Stein, relato de 06/2002). A ex-paradinha foi restaurada em 2015. Estive lá em 8 de outubro deste ano e fotografei a parada já restaurada, mais precisamente por William Miranda.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Wilson Stein; William Miranda; Paulo Nascimento; Adriano Martins; Anna Claudia Parodi)
     

A pequena casinha com cobertura, o "Stein" (14/03/1998). Foto Ralph M. Giesbrecht

Outra foto do "Stein" (14/03/1998). Foto Ralph M. Giesbrecht

A parada ainda está lá em 05/2003. Foto Adriano Martins

A parada em 2014. Foto Paulo Nascimento

A ex-parada restaurada, em agosto de 2015. Foto William Miranda

A parada em 8/10/2015. Nela vê-se William Miranda (de vermelho) e Wilson Stein. Foto Ralph M. Giesbrecht
     
Atualização: 14.10.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.