A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Butiá
Descalvado
...
Saída para o ramal Descalvadense: Pântano
...

ramal Descalvado-1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2012
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1881-1971)
FEPASA (1971-1996)
DESCALVADO
Município de Descalvado, SP
Ramal de Descalvado - km 223,773   SP-0096
    Inauguração: 07.12.1881
Uso atual: usada pela Prefeitura   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1883
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em 1877, a Paulista abria o primeiro trecho, partindo de Cordeiros até Araras, do que seria o prolongamento de seu tronco. Em 1880, a linha, com o nome de Estrada do Mogy-Guassú, atingia Porto Ferreira, na mesma época em que a autorização para cruzar o Mogi e chegar a Ribeirão Preto foi indeferida pelo Governo Provincial, em favor da Mogiana. A linha, então, foi desviada para oeste e atingiu Descalvado no final de 1881, seu ponto final. Em 1916, as modificações da Paulista na área entre Rio Claro e São Carlos, na linha da antiga Rio-Clarense, fizeram com que o trecho fosse considerado como novo tronco, deixando a linha a partir de Cordeiros como o Ramal de Descalvado. Desde o começo em bitola larga (1,60m), ele funcionou para trnes de passageiros até julho de 1976 (Pirassununga-Descalvado) e até fevereiro de 1977 (Cordeirópolis-Pirassununga). Trens cargueiros andaram pela linha até o final dos anos 1980. Abandonado, o ramal teve os trilhos arrancados entre 1996 e 2003.
 
A ESTAÇÃO: Em 1874, a Paulista começou a se interessar pela vila de Bethlem do Descalvado, por sua quantidade enorme de cafezais. Depois de várias idas e vindas, a Cia. finalmente resolveu levar os trilhos para lá apenas em 1880, quando se concretizou o fato de que ela não poderia cruzar o rio Mogi em Porto Ferreira. A construção se iniciou nesse mesmo ano, mas demorou bastante devido às chuvas torrenciais. Somente em meados de 1881 é que

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1881 a 1976. Na foto à esquerda, o trem do ramal está parado em Loreto. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1964 (Guias Levi).
se decidiu o local da estação, fora da cidade, em terreno doado por Manoel Batista da Cruz Tamandaré, proprietário da fazenda Boa Esperança. Primeiro foi construído o armazém de cargas, cujos tijolos vieram de Pirassununga e que abrigaria provisoriamente também o terminal para passageiros; a alvenaria ficou a cargo do sub-empreiteiro José Pera. Para não confundir com outras duas estações que também se chamavam Bethlem, uma na SPR (atual estação de Francisco Morato) e outra na E. F. Dom Pedro II (a atual Japeri), a estação foi denominada somente Descalvado.

ACIMA: Antigo virador de locomotivas em Descalvado, com duas bitolas (quatro trilhos), de 1,60 e de 0,60 metros. ABAIXO: Antigo pátio da estação de Descalvado, com a estação ao fundo e, atrás do galho da árvore em primeiro plano, uma pequena casa do pátio (Fotos Leandro Guidini, julho de 2008).
Somente em 1883 é que se construiu o prédio definitivo para passageiros, prédio este que recebeu o Imperador Pedro II, três anos depois, honra máxima para uma cidade, na época. A Família Imperial hospedou-se numa casa na cidade que já foi inexplicavel- mente demolida. Uma reforma ou reconstrução na estação, nos anos 1910, deu-lhe o aspecto atual. Desde 1891, ela tinha duas plataformas, a menor delas para embarcar os trens do Ramal Descalvadense, construído por particulares com bitola de 60 cm, e vendido à Paulista nesse ano. Ele era conhecido com o "trenzinho", em comparação com o "trenzão", da Paulista, e seguia por treze quilômetros até a estação de Aurora, passando no meio de fazendas de café. O trenzinho foi desativado em 1960. O trenzão saiu pela última vez de Descalvado em 31 de julho de 1976, deixando somente trens de carga que foram mingüando até acabarem, cerca de dez anos depois, deixando a estação fechada e abandonada até 1995, quando se iniciaram as obras para sua restauração pela Prefeitura. Em 1996, os trilhos foram retirados de dentro da cidade. "Estive na antiga estação de Descalvado. Destaque para o belo virador de locomotivas que ficou num canto, abandonado sem função nenhuma. O lugar é muito bonito, mas era muito mais com os trilhos lá" (Rodrigo Cabredo, 09/2006).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Rodrigo Cabredo; João Carlos Reis Pinto; Filemon Peres; Leandro Guidini; Câmara Municipal de Descalvado; José Roberto Pascon; Cia. Paulista: relatórios anuais, 1875-1969; Ralph M. Giesbrecht: "Caminho para Santa Veridiana - As ferrovias em Santa Cruz das Palmeiras", Editora Cidade, 2003; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1960; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação original de Descalvado. Foto por volta de 1900. Acervo Leandro Guidini

Estação de Descalvado, com suas duas plataformas, em 1916. Foto Filemon Peres

Estação de Descalvado, com suas duas plataformas, em 1916. Foto Filemon Peres

Estação de Descalvado, com suas duas plataformas, em 1916. Foto cedida pela Câmara Municipal de Descalvado

A estação de Descalvado, em dezembro de 1975, ainda funcionando. Foto José Roberto Pascon

A estação, abandonada, em 1991. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em final de restauro, em 30/04/1996. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 09/2006. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 05/2010. Foto João Carlos Reis Pinto
     
Atualização: 13.01.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.