A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Barão Ataliba Nogueira
Eleutério
Sapucaí
...

ramal de Itapira-1950

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2014
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1891-1971)
FEPASA (1971-1990)
ELEUTÉRIO
Município de Itapira, SP
Ramal de Itapira - km 46,086   SP-0135
Altitude: 676 m   Inauguração: 19.09.1891
Uso atual: industria metalúrgica (2014)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1891
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal da Penha foi inaugurado em 1882, com 20 quilômetros, até antiga Penha do Rio do Peixe (Itapira). O trecho de Itapira até Eleutério foi construído pela E. F. Sapucaí, mas encampado pela Mogiana, que não concordou com a posição de ceder sua zona privilegiada. Em 1891, o ramal, agora de Itapira, já chegava a Eleutério. Em 1898, chegou a Sapucaí, já em Minas Gerais, onde se encontrava, agora sim, com a E. F. Sapucaí. O transporte de passageiros durou até 1976, e cargas passaram até uns dez anos depois. Com a supressão da linha mineira, o ramal perdeu a função e foi desativado, tendo seus trilhos sido retirados em 1990, já abandonados.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Eleutério foi aberta em 1891. Ficava próxima à divisa de Minas, pouco antes do rio Eleutério, tendo sido o trecho após Itapira, incluindo as duas novas estações, construído pelos empreiteiros José Monteiro e Joaquim Santiago. A linha da Mogiana ia até este rio, e após, ficou aguardando a junção com a E. F. Sapucaí, com a qual estabeleceria tráfego mútuo.

Em 23/11/1909, o jornal O Estado de S. Paulo noticiava a nomeação de uma professora substituta em Eleutério, mostrando que lá já havia uma escola.

Para ler sobre a Revolução de 1932 em Eleutério, clique aqui.

Muitos moradores da vila, um bairro afastado de Itapira cerca de dois quilômetros antes da divisa com Minas Gerais, usavam o trem para estudar em Itapira.

O pátio desta estação era muito grande, e em 1999, quando lá estive a primeira vez, estava em terraplanagem, ao que parece para a construção de uma praça no local. O seu pátio tinha um girador de locomotivas, que já havia sido retirado.

A estação, a uns 1.500 metros da estrada Itatiba-Jacutinga, à sua esquerda, estava em 2014 descaracterizada, antes ocupada por uma fábrica de doces e licores, e mais tarde, pela Metalúrgica Solano. A plataforma de embarque foi coberta e fechada, e as divisórias internas, todas eliminadas, sobrando apenas parte dos pisos originais das diferentes divisões. O armazém, maior, fica ao lado, cercado, sendo depósito de materiais. Também estava descaracterizado.

ACIMA: Esquema do pátio de Eleutério em novembro de 1968 (Clique sobre a figura para ter maiores informações) (Acervo Museu da Companhia Paulista, Jundiaí, SP - Reprodução Caio Bourg). ABAIXO: A estação e as tropas paulistas durante a Revolução de 1932 (Foto A GAZETA, agosto de 1932 - acervo http://tudoporsaopaulo1932.blogspot.com - Ricardo Della Rosa).

ACIMA: Cabeceiras de pedra da antiga ponte ferroviária sobre o rio Elleutério, por onde passa a divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais. A ponte, metálica, foi retirada com os trilhos (Foto João Carlos Reis Pinto em dezembro de 2011).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Luiz J. Lahuerta; Kelso Medici; Ricardo Della Rosa; http://tudoporsaopaulo1932.blogspot.com; A Gazeta, 1932; O Estado de S. Paulo, 1909; Cia. Mogiana, Álbum, 1910; Cia. Mogiana, relatórios oficiais, 1875-1969; Cia. Mogiana: relatório oficial de estações, 1937; IBGE, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Eleutério, c. 1910. Foto do álbum da Mogiana

A estação, ainda em atividade, foto sem data. Acervo Kelso Medici

A estação em 1982. Foto
Luiz J. Lahuerta

A estação em 1982. Foto
Luiz J. Lahuerta

O pátio, em 18/03/1999, com a estação ao fundo. Foto Ralph M. Giesbrecht

Eleutério, em 18/03/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht


A estação em 13/4/2010. Foto João Carlos Reis Pinto


A estação em 2014. Foto Ralph M. Giesbrecht
 
     
Atualização: 11.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.