A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Gagé
Joaquim Murtinho
Lobo Leite
...
Saída para a linha do Paraopeba: Congonhas do Campo
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...

Linha do Centro - 1931
...
 
E. F. Central do Brasil (1914-1975)
RFFSA (1975-1996)
JOAQUIM MURTINHO
Município de Congonhas do Campo, MG
Linha do Centro - km 477,165 (1928)   MG-0411
Altitude: 881.742 m   Inauguração: 14.11.1914
Uso atual: estação da MRS   com trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 1940?
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Joaquim Murtinho foi inaugurada em 1914. Seu nome homenageia o Ministro da Viação e da Fazenda no final do século XIX. A estação foi construída especificamente para dar saída à linha do Paraopeba, e substituiu uma estação de nome Jubileu, que ficava um pouco à frente (em 1902, km 479,491).

Em 2010, a MRS ocupava parcialmente o prédio, com uma equipe operacional. Isto garantia (mesmo que indiretamente) a preservação da magnífica caixa d'água, totalmente em ferro fundido, inclusive os pilares de sustentação.



ACIMA: O pátio da estação de Joaquim Murtinho, tendo o prédio da estação ao fundo. Notem os cargueiros da MRS, atual concessionária (Foto Alexandre Almeida em abril de 2008).
AO LADO: Trem cargueiro e outro de passageiros chocaram-se próximo à estação em 1938 (O Estado de S. Paulo, 30/8/1938).
.
"Tenho muitas dúvidas sobre a data de inauguração do prédio atual da estação. Creio que seja dos anos 1940, pois está totalmente fora do eixo da antiga linha. Esta seguia junto da encosta dos morros, desviando-se dos brejos ali existentes ainda hoje. A EFCB aterrou o brejo e fez um imenso pátio reto, eliminando curvas e uma ponte antes ali existente. De fato, as cabeceiras da tal ponte ainda existem no leito antigo, assim como uma casa de Turma da Central. No antigo traçado, boa parte dele ainda está com os trilhos, pois serve como rabicho para desvio de vagões acidentados. De fato, antigos vagões da EFCB jazem abandonados ali há muitos anos"
AO LADO: Sobre a data de inauguração da estação (Pedro Paulo Rezende, 10/2008).
Fontes: Alex de Lima; José E. Buzelin; Alexandre Almeida; Gutierrez L. Coelho; Jairo Nunes; Pedro Paulo Rezende; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928)
     

A estação em 1999.
Foto José Emilio Buzelin

A estação tendo em primeiro plano a caixa d'água, em 10/2003. Note a linha se bifurcando à sua frente (Linha do Centro/Linha do Paraopeba). Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em abril de 2008. Foto Alexandre Almeida

A estação em 10/2003. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 2010. Foto
Jairo Nunes

A estação em 2016. Foto Alex de Lima
 
     
Atualização: 12.04.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.