A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Tocandira
Pai Pedro
Catuti
...

Linha do Centro - 1931
...
 
 
E. F. Central do Brasil (1947-1975)
RFFSA (1975-1996)
PAI PEDRO
Município de Pai Pedro, MG
Linha do Centro - km   MG-0437
    Inauguração: 10.09.1947
Uso atual: abandonada   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1947
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO:A estação de Pai Pedro foi inaugurada em 1947. "Joel Oliveira Belas ajudou a construir a estação de Pai Pedro, hoje sede de município de 1.800 famílias. Baiano do Morro do Chapéu, o garimpeiro Joel tinha 28 anos quando trocou, em agosto de 1942, a batéia faisqueira de ouro e diamante que usava em Bela Vista de Utinga por machado e enxó nos cafundós de Serra Branca, onde o trem precisava de uma parada. Perdeu a conta dos dormentes para reposição que tirou da mata. Dos portais, linhas e vigas que forneceu para a estação e a própria casa do engenheiro da ferrovia. 'Cada árvore virada em dormente saía a 3 mil réis da minha mão, encarecia no representante e chegava por 5 mil, 6 mil réis na Central do Brasil.' Essa estação, inaugurada em 1947, deu origem ao povoado de Pai Pedro, o mais importante do trecho, porque central: era lá que o trem deixava, todo domingo, o jacal e o pessoal de Catuti, Tocandira, Janaúba, eng. Rochert, Quem-Quem, Messias, Orion, Eng. Zander, Uraturga e Canassi, na feira em que trocavam mel por queijo, galinha por araruta, milho por gamela, requijão por farinha, pimenta por feijão, cebola ou bode. Se apuravam um troco, dava para comprar panos, querosene, sal, óleo, pinga, charque, açúcar, bolacha, teréns de cozinha, badulaques de armarinho e até a pilha do rádio. Levados também de trem, de uma das duas pontas. Meio rico - ganhava 15 mil réis por dia enquanto lavrou madeira - Joel abriu roça. 'Não dava conta de colher feijão de corda. E foi milho, algodão, araruta, criação...' Mas para criar os sete filhos e as três filhas dependeu do trem: por vinte anos vendeu cafezinho - 'café pronto' - para os passageiros pela janela na parada de um minuto. 'Só desanimei quando o trem começou a falhar'. Era 1970, e a ditadura militar, como o BNDES de hoje, já implicava com o que chamam de ramais deficitários. De todo modo, era o trem que levava até Pai Pedro, para a feira dos domingos, a freguesia da produção de Joel - os vizinhos da linha. A feira era uma festa." (O trem bom passa direto, Gazeta Mercantil, 3/9/1998)
     

A estação de Pai Pedro, em 2005. Foto Alberto Fernandes de Oliveira

A estação de Pai Pedro, em 2005. Foto Alberto Fernandes de Oliveira
 
     
     
Atualização: 22.10.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.