A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Timbaúba
Rosa e Silva
Triângulo
...

Linha Norte - 1940
 
 
Great Western (1900-1950)
Rede Ferroviária do Nordeste (1950-1975)
RFFSA (1975-1996)
ROSA E SILVA
Município de Timbaúba, PE
Linha Norte - km 130 (1960)   PE-3821
  Inauguração: 02.01.1900
Uso atual: abandonada e em ruínas   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que originalmente unia a estação de Brum, no Recife, a Pureza, próximo à divisa entre Pernambuco e Paraíba, foi aberta de 1881 a 1883 pela Great Western do Brasil, empresa inglesa que tinha a posse e a concessão da E. F. Recife ao Limoeiro. Esta linha avançou até Pilar, na antiga E. F. Conde D'Eu, incorporada à GW em 1901, onde sua linha, aberta em 1883, entre outros ramais, avançava até Nova Cruz, já no Rio Grande do Norte e da E. F. Natal a Nova Cruz, que também passou à GW, na mesma época. Para ligar estas duas últimas, a GW construiu em 1904 um trecho de 45 km, formando então o que veio a ser chamado de Linha Norte. Quando ocorreu a venda da GW para a Rede Ferroviária do Nordeste, no entanto, o trecho do RN já não mais pertencia à GW, mas foi incorporado à RFN, e em 1957 tudo isso foi uma das formadoras da RFFSA. A linha está ativa até hoje sob o controle da CFN, que obteve a concessão da malha Nordeste em 1996, mas trens de passageiros não circulam mais por essa linha desde os anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Rosa e Silva foi inaugurada em 1900, na linha que uniria Pernambuco à E. F. Conde D'Eu, na Paraíba. A

Acima, mapa parcial do município de Timbaúba, nos anos 1950. A estação de Rosa e Silva aparece quase na divisa com a Paraíba. (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, volume IV, 1958).
estação de Rosa e Silva ainda foi utilizada pela CFN até o começo de 2005, conforme informações obtidas no local, quando um curto circuito na sua rede elétrica provocou a suspensão do fornecimento de energia pela CELPE. A partir de então, nunca mais foi utilizada, aabando por ser abandonada. Hoje, deteriorada e depredada, é o retrato do descaso. A estação atendia a um pequeno povoado de mesmo nome, próximo à fronteira com o estado da Paraíba. (Fontes: Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, volume IV, 1958; Guias Levi, 1932-1982; Sydney Correa, 2009)
     

A estação em janeiro de 2009. Foto Sydney Correa

A estação em janeiro de 2009. Foto Sydney Correa

A estação em janeiro de 2009. Foto Sydney Correa
     
Atualização: 01.02.2009
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.