A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Linha da E. F. Goiaz
...
Honestino Guimarães
Senador Canedo
Senador Canedo-nova
...

IBGE - 1957
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Goiaz (1950-1965)
V. F. Centro Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
SENADOR CANEDO
Município de Senador Canedo, GO
Linha-tronco - km 403,625 (1960)   GO-3330
    Inauguração: 07.09.1950
Uso atual: sede de ONG   com trilhos
Data de construção do prédio atual:
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da E. F. Goiaz foi aberta a partir de Araguari, onde já estavam os trilhos da Mogiana desde o ano de 1896, em seu primeiro trecho em 1911, até a ponte sobre o rio Paranaíba, na divisa entre os Estados de Minas Gerais e Goiás. A partir de então, foi aquela demora de sempre: avançando lentamente, atingiu Goiânia, capital do Estado de Goiás desde o início dos anos 1940, somente em 1950, e alguns anos mais tarde a linha foi prolongada em dois quilômetros até Campinas de Goiás. Aí parou. Com a entrada em operação da linha para Brasilia, a partir da estação de Roncador, o trecho até Goiânia perdeu em importância. Hoje boa parte da linha está em operação para trens cargueiros: trens de passageiros acabaram nos anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Senador Canedo foi inaugurada em 1950. Há hoje duas estações, a velha (original de 1950) e a nova. A estação velha possui trilhos está em mau estado de conservação e serve de moradia. O pátio da estação de Goiânia foi desativado nos anos 1980 e por isso foi construído um pátio e a estação nova de Senador Canedo, que na verdade foi construído parcialmente, isto é, apenas as linhas. Depois de ser desativada pela RFFSA, a estação velha passou a ser depredada e as autoridades locais do recente municipio não lhe deram a devida atenção, pois foi a partir da referida estação que a cidade se desenvolveu. Hoje a estação vem sendo administrada por uma ONG (FORSEC, forum comunitário de Senador Canedo) que, apesar da descaracterização da plataforma de embarque, a ONG mantém no prédio, agora denominado Estação Cultura, uma biblioteca e um salão de dança. A ONG tem pleiteado junto as autoridades do Estado a reativação da linha com um trem turistico e cultural, e que fosse ate o sul do Estado. "Na estação velha, ainda parte da linha, isto é, as com posições simplesmente só passam por ela para atingir a nova que se situa a uns 3 km após. Apesar do orgão da prefeitura afirmar que se trata de um centro cultural as aparências não confirman isto. Pois nas janelas vi roupas de pessaos secando, o que indica tratar-se de moradia. Soma-se a isto o mau estado de conservação e estar com todas as portas fechadas" (Roberto Fonseca Dias, 12/2006). Fora isso, em 31 de outubro de 2007, a ANTT decidiu aceitar a devolução - por parte da FCA, atual concessionária do trecho - do trecho entre Senador Canedo onde está o chamado "pool de Combustíveis", e o Moinho Goiás, ou seja, um trecho de 4,5 km que, em parte, era da linha original Senador Canedo-Goiânia e em parte, um trecho de um ramal que saía dele, unidos depois que a maior parte da linha para Goiânia foi erradicada. Enfim, o "pool" ainda utiliza a linha, o Moinho, não: "Com a desativação da estação de Goiânia e demolição da ponta da linha, restou apenas o tronco até o Moinho Goiás (adquirido pela Cargill). Nos fundos do Moinho Goiás (Emege) havia um pátio, na verdade duas linhas com balança e um desvio morto até o interior do moinho, utilizados pelo próprio moinho e também pela Ferrobraz (metalurgica) para descarga de bobinas de aço nos tempos da RFFSA, atualmente sem uso, já que apenas o pool de combustíveis está recebendo cargas via ferrovia - óleo grosso, basicamente. Hoje a FCA define como fim da linha tronco o pátio de Leopoldo de Bulhões - bifurcação para o polo de Anápolis. De Bulhões até Goiânia é apenas ramal. Quanto ao trecho da resolução, já esta quase todo invadido, restando quase que apenas a linha sem qualquer faixa de domínio. Na ponta até os trilhos foram cobertos por barracos de uma favela" (Reney, 11/2007). Coordenadas: 16°42'50.47"S 49° 5'39.14"W (Veja também SENADOR CANEDO-NOVA)
(Fontes: Alessander Palacios; Glaucio H. Chaves, 2009; Roberto Fonseca Dias, 2006; Domingos Tiveron Filho, 05/2006; Reney, de Goiânia; Guia Geral de Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1948-1979)
     

A estação ainda em atividade, provavelmente anos 1980. Acervo Manoel Monachesi

A estação em 05/2006. Foto Domingos Tiveron Filho

Ao lado da estação, o antigo pátio de tratamento de dormentes, em 05/2006. Foto Domingos Tiveron Filho

A estação em 11/2006. Foto Roberto Fonseca Dias

A estação em 11/2006. Foto Roberto Fonseca Dias

A estação de Senador Canedo em 11/2010. Foto Alessander Palacios

A estação de Senador Canedo em 11/2010. Foto Alessander Palacios
   
     
Atualização: 20.06.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.