A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Dona Emília
Porciúncula
Tombos
...
Saída para a linha de Carangola: Natividade
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Cia. E. F. Carangola (1886-1890)
Cia. Barão de Araruama (1890)
E. F. Leopoldina (1890-1975)
RFFSA (1975-1979)
PORCIÚNCULA
(antiga SANTO ANTONIO DO CARANGOLA)
Município de Porciúncula, RJ
Linha do Manhuaçu-km 413,619 (1960)   RJ-1711
Altitude: 188 m   Inauguração: 20.06.1886
Uso atual: centro cultural   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que ligava a estação de Recreio a Santa Luzia (Carangola) teve a sua concessão e construção a cargo da Companhia Alto Muriaé, estabelecida em 1880. Em 2/5/1883, a empresa foi incorporada pela E. F. Leopoldina. Uma alteração de traçado da linha original para Muriaé levou a Leopoldina a passar por uma pequena extensão dentro de território fluminense, onde estava Santo Antonio (Porciúncula), retornando para Minas, seguindo para Carangola, onde chegou em 1887. De 1911 a 1915, a Leopoldina prosseguiu a linha até Manhuaçu, seu ponto final. O trecho Manhuaçu-Carangola foi fechado em 23/07/1975. Porciúncula-Carangola foi fechado em 1977, e em 1979, fechou-se a linha entre Cisneiros e Porciúncula. O pequeno trecho Recreio-Cisneiros nunca foi oficialmente suprimido.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Santo Antonio do Carangola foi inaugurada em 1886 pela E. F. Carangola. No mesmo ano, a E. F. Leopoldina, autorizada pelo Governo do Império, teve autorização para o tráfego de sua linha que passava por essa estação, ligando as estações de Antonio Prado e de Tombos, ambas em território mineiro, passando por dentro de curto trecho em terras fluminenses. Por causa disso, a Leopoldina não tinha autorização para ali embarcar ou desembarcar passageiros e cargas, sendo que apenas a E. F. Carangola, cuja linha começava realmente em Tombos e seguia no sentido de Itaperuna, na Província do Rio de

ACIMA: Mapa do município de Porciúncula em 1950. A linha que sai de Porciúncula para sudeste é a linha de Carangola. A linha do Manhuaçu corta a cidade do sudoeste para nordeste (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1958). ABAIXO: A coluna de Seroa da Motta, posando na estação, em outubro de 1930 (Foto Revista da Semana, 15/11/1930).
Janeiro, tinha permissão para explorar. Em maio de 1890, a Cia. Barão de Araruama comprou a Cia. Carangola, mas no final desse mesmo ano, a Leopoldina incorporou esta nova empresa, e passou a ter autorização para utilizar a estação de Santo Antonio conforme lhe conviesse. Mais tarde, a estação teve o nome alterado para Porciúncula. Durante a revolução de outubro de 1930, tropas mineiras invadiram a cidade de Porciúncula, cuja população fugiu. A estação abrigou o quartel-general dos revoltosos, comandados pelo

ACIMA: O último trem de passageiros a deixar Porciuncula em 1977 (Autor desconhecido).
major Seroa da Motta. Em 17/11/1977, foi suprimido o trecho que ligava Porciúncula a Carangola. Os trens de passageiros que saíam, em 1976, de Retiro todos os dias às 6 da manhã e chegavam a Porciúncula às 10:47, Finalmente, em 22/01/1979, também foi suprimido o trecho entre Porciúncula e Cisneiros, fechando de vez a estação. O prédio esteve ameaçado de ser demolido para a construção de uma praça, mas pedidos insistentes de ex-ferroviários conseguiram impedir que isso ocorresse. Mesmo assim, chegou a ficar abandonado por um bom tempo; depois, foi restaurado e transformado em um centro cultural, destinação que tem até hoje. Em 2011 foi adquirido pelo município.
(Fontes: Marcos T. Farias; Wanderley Duck; Sargento Rangel; Revista da Semana, 1930; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1958; Luiz Serafim Derenzi: Caminhos Percorridos; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação de Porciúncula ocupada pelas tropas em 1930. Foto da Revista da Semana de 15/11/1930

A estação em 2005. Acervo Wanderley Duck

A estação em 2005. Acervo Wanderley Duck

A estação em 21/04/2006. Foto Marcos T. Farias

A estação reformada em 2011. Foto Sargento Rangel
 
     
Atualização: 16.09.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.