A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Macabuzinho
Conceição do Macabu
Triunfo
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Cia. E. F. Barão de Araruama (1879-1890)
E. F. Leopoldina (1890-1966/7)
CONCEIÇÃO DE MACABU
Município de Conceição de Macabu, RJ
Ramal de Santa Maria Madalena - km 296,088 (1960)   RJ-1847
Altitude: 39 m   Inauguração: 23.01.1879
Uso atual: em pé; uso desconhecido   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal que ligava Entroncamento (Conde de Araruama) a Ventania (Trajano de Morais) teve a linha entregue em 1878 até Conceição e no ano seguinte até Triunfo (Itapuá) e Ventania, pela E. F. Barão de Araruama. Somente em 1896, já com as linhas de posse da Leopoldina, foi entregue a continuação até Visconde do Imbé e em 1897 a Manoel de Morais. Antes disso, em 1891, o engenheiro Ambrosino Gomes Calaça havia aberto uma linha entre Ventania e Santa Maria Madalena, estabelecendo outro ramal. Logo após a inauguração, a linha foi vendida À E. F. Santa Maria Madalena, e em 1907 à Leopoldina. Dependendo da época, a linha principal era Conde de Araruama-Madalena, ou Conde de Araruama-Manoel de Morais, com o outro trecho sendo o ramal, ou seja, passando por baldeação ou espera em Trajano de Morais. Em 31/08/1965, o trecho a partir de Triunfo foi suprimido para trens de passageiros, ou seja, o entroncamento de Trajano de Morais já não era alcançado. Em 1966 ou 1967, o que restava do ramal acabou de vez. Ficou, entretanto, o trecho entre Conde de Araruama e Conceição de Macabu ainda funcionando para a Usina Victor Sence, até o início dos anos 1990. Com a sua desativação, os trilhos foram arrancados.
 
A ESTAÇÃO: "A pedra fundamental do ramal foi lançada em 5 de dezembro de 1877, as obras foram aceleradas e em 18 de julho de 1878 foram concluídas em Conceição de Macabu, ou seja, havia trilhos já em Macabu, distante 31Km do entroncamento. A rapidez deveu-se a fatores variados como o grande número de escravos cedidos à obra, ao terreno plano ou pouco elevado, a existência de estradas de acesso e portos fluviais ao longo do trajeto da ferrovia, além do que, parte da estrada de ferro ter sido construída sobre antigos leitos de estradas da região. A estação de Conceição de Macabu ficou pronta em fins de 1878, inicialmente ficava na frente da atual e era de madeira. em 1891 foi transferida para onde está, a madeira foi trocada por tijolos portugueses, mas o telhado (francês), as portas e janelas (pinho-de-riga) e as estruturas de ferro (inglesas e escocesas) foram mantidas e são as mesmas até hoje. A estação ainda existe e é a mais bem conservada e, sem modéstia, a mais bonita do ramal." (Marcelo Abreu Gomes, Conceição de Macabu, RJ) "Lembro-me bem do derradeiro dia em que o trem deixou a estação (de Santa Maria Madalena). (...) Por onde ele passou, Loreti, Trajano de
ACIMA: Trem chega à estação de Conceição de Macabu em 1902 (Revista da Semana, 6/7/1902). ABAIXO: Mapa dos anos 1950 mostrando parte do município de Conceição de Macabu e a ferrovia (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VI, 1958).

Moraes, Leitão da Cunha, o trecho da serra, vendo-se lá embaixo o rio Triunfo e o Conceição, as manifestações de despedida foram as mais sentidas e expressivas, sendo que na de Conceição de Macabu havia uma banda de música que executou, na partida, a melodia Valsa da Despedida, tendo o padre local usado da palavra, o que fez muita gente chorar. O ponto do almoço, em Conceição, onde na mesa não faltava a boa carne de porco, a galinha, a couve picadinha, o torresmo, o tutu com carne seca desfiada, etc., e o custo era apenas de dois mil réis.
(...)" (Octavio Fajardo Rodrigues, 1975) Até pelo menos 1990, ano da última safra de cana colhida pela Usina Victor Sence, o trem cargueiro ainda passou pela estação de Conceição de Macabu. Não muito tempo dedpois, isso também acabou e os trilhos foram retirados. Para quem quer ver o trem em 1941 chegando à estação, clique aqui.
(Fontes: Ricardo Quintero de Mattos; Marcelo Abreu Gomes; Octavio Fajardo Rodrigues; Revista da Semana, 1902; Edmundo Siqueira: Resumo Histórico da Leopoldina Railway, 1938; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-79; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, à direita, com o vagão parado no pátio, em 1941. Foto cedida por Marcelo Abreu Gomes

A estação em 1990, com o trem da Usina Victor Sence passando em frente a ela. Foto cedida por Marcelo Abreu Gomes, de Conceição de Macabu, RJ

A estação em 2007, reformada. Foto Ricardo Quintero
 
     
Atualização: 03.05.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.