A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Raposo Tavares
Itariri
Pedro de Toledo
...

ramal de Juquiá-1980

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
Southern São Paulo Railway (1914-1927)
E. F. Sorocabana (1927-1971)
FEPASA (1971-1998)
ITARIRI
Município de Itariri, SP
Ramal de Juquiá - km 195,139 (1960)   SP-2072
Altitude: 52 m   Inauguração: 08.11.1914
Uso atual: estação rodoviária (2010)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal foi construído pelos ingleses da Southern São Paulo Railway, entre 1913 e 1915, partindo de Santos e atingindo Juquiá. Em novembro de 1927, o Governo do Estado comprou a linha e a entregou à Sorocabana, já estatal, no mês seguinte. O trecho entre Santos e Samaritá foi incorporado à Mairinque-Santos, que estava em início de construção no trecho da serra do Mar, e o restante foi transformado no ramal de Juquiá. A partir daí, novas estações foram construídas, e em 1981, o ramal foi prolongado pela Fepasa, já dona da linha desde 1971, até Cajati, para atender as fábricas de feritlizantes da região. O transporte de passageiros entre Santos e Juquiá foi suspenso em 1977 e restaurado em 1983, parando porém definitivamente em 1997. A linha seguiu ativa para trens de carga que passavam quase diariamente, transportando enxofre do porto para Cajati, até o início de 2003, quando barreiras caíram sobre a linha na região do Ribeira. O transporte foi suspenso e a concessionária Ferroban desativou a linha, que o mato cobriu rapidamente.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Itariri foi inaugurada ainda pela Southern São Paulo Railway, em 1914, com quilometragem original 103,012. Em 1978, com a linha ainda em funcionamento (mas não para passageiros) o prédio da estação foi alugada a um comerciante por Cr$ 3.500,00 para utiliza-la como depósito. O trem de passageiros havia sido cancelado em fevereiro de 1977, mas retornou em agosto de 1983, para parar definitivamente em dezembro de 1997. A estação estava ocupada por uma oficina e um bazar em 2003, mas em mau estado de conservação, sem desvios, retirados havia já muito tempo. Somente a linha principal continuava ali em 2016, mas já no abandono pois os cargueiros deixaram de passar no início de 2003. Na entrada do pátio, a ponte sobre o rio Itariri ainda existe. Em 2007, a estação, que já havia sido repintada, foi-o novamente. Depois de funcionar algum tempo como oficina, parte dela passou a ser um bazar. Em 2010 o prédio servia como rodoviária e bar.

ACIMA: A ponte na entrada do pátio de Itariri, em 08/2003 (Foto Adriano Martins).






















AO LADO: A cidade de Itariri ainda pertencia a Itanhaém em 1938. Ao lado, uma descrição de como era a vila, que tinha quase um quarto da população de todo o município de Itanhaém na época, distando 58 quilômetros da sede (O Estado de S. Paulo, 11/9/1938).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Nilson Rodrigues; Rafael Asquini; Adriano Martins; Marcos Antonio Nobrega; Ailton Luiz Gouveia; Nilson Rodrigues; Bladegan Gallo; O Estado de S. Paulo, 1938; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1925-69; IBGE, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Trem de passageiros em Itariri em 1985. Foto Nilson Rodrigues

Estação de Itariri em 19/05/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

Plataforma da estação em 08/2003. Foto Adriano Martins

Em janeiro de 2007, a estação. Foto Ailton Luiz Gouveia

A estação, repintada, em junho de 2007. Foto Rafael Asquini

A estação em 07/2008. Foto Marcos Antonio Nobrega

A estação em 07/2008. Foto Marcos Antonio Nobrega

A estação em 2015. Foto Nilson Rodrigues
 
     
Atualização: 21.04.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.