A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mirandópolis
Machado de Melo
Guaraçaí
...

Tronco NOB - 1935

mapa-1946
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1936-1975)
RFFSA (1975-1996)
MACHADO DE MELO
Município de Mirandópolis, SP
Variante de Jupiá - km 102,940 (1937); Linha-tronco - km 383,940 (1949)   SP-0796
Altitude: 467 m   Inauguração: 01.09.1936
Uso atual: em ruínas (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com o Paraguai, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a Refesa deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Machado de Melo foi inaugurada em 1936, junto à vila de Amandaba. O nome acabou homenageando o engenheiro que tocou as partes mais difíceis da linha nos anos 1910 e presidente da Noroeste, em vez de tomar o nome da vila.

Em 1940 a estação passou a integrar a linha-tronco da Noroeste. Nesse ano, a realização do Recenseamento Geral do Brasil gerava comunicados desse tipo: "Recenseamento das ilhas do rio Paraná, entre os municípios de Andradina e o Estado do Mato Grosso. Necessidade de porte de armas para os recenseadores e Delegado Municipal. Aproveitar engenheiro para correr as divisas do município de Valparaíso e também nas imediações da estação de Machado de Melo (...)". A vida, portanto, não era fácil na região.

Hoje, para se ir à estação vindo de Mirandópolis precisa-se passar por um pontilhão. Do alto desse pontilhão foi tirada uma das fotos de 2001 que estão abaixo.

Em 2003, a antiga estação, abandonada e em terras particulares no meio de um pasto, não estava mais junto à linha, retificada, não tinha mais telhado e tinha mato ao seu redor.

Em 2014, a situação não era diferente. Ruínas.

ACIMA: Fotografia tomada no dia da inauguração da estação em 1936 (Museu Municipal de Avaí). ABAIXO: Tristes ruínas do interior da estação de Machado de Mello, em 2003. Provavelmente hoje (2008) está muito pior. O piso hidráulico no chão mantinha seu bonito e datado desenho (Foto Ana Cristina Caldatto).

(Fontes: Odilio Pereira de Queiroz Neto; Antonio Alberto Gati Mietto; Ana Cristina Caldatto; Daniel Gentili; Acervo Sud Mennucci; Museu Municipal de Avaí; E. F. Noroeste: relatórios anuais; Mapa - acaervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação no abandono, em janeiro de 2001. Foto Antonio A. G. Mietto

Vista do pontilhão, a estação em janeiro de 2001. Foto Antonio A. G. Mietto

Vista do pontilhão, a estação em janeiro de 2001. Foto Antonio A. G. Mietto

A estação de Machado de Mello em 2003. Foto Ana Cristina Caldatto

A estação de Machado de Mello em 2013. Foto Odilio Pereira de Queiroz Neto
 
     
Atualização: 16.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.