A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Aguapeí
Mirandópolis
Machado de Mello
...

Tronco NOB - 1935

mapa-1946
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1936-1975)
RFFSA (1975-1996)
MIRANDÓPOLIS
Município de Mirandópolis, SP
Variante de Jupiá - km 93,700 (1937) Linha-tronco - km 374,700 (1949)   SP-1656
Altitude: 428 m   Inauguração: 31.03.1936
Uso atual: moradia (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1936
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com o Paraguai, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste, que hoje é da ALL.
 
A ESTAÇÃO: A cidade de Mirandópolis foi fundada em 1934, com o nome de São João da Saudade, dois anos antes da inauguração da estação ferroviária, que passaria a ser a ponta da variante de Jupiá, em 1936. Em 1940, a estação passou a integrar a linha-tronco da Noroeste. Por algum tempo, nos anos 1930, chamou-se Comandante Arbués (por causa do comandante Pedro Arbués, da Força Pública do Estado), mas curiosamente a estação já tinha o nome de Mirandópolis, em homenagem ao senador Rodolfo Miranda, e acabou nomeando a cidade. Tornou-se município em 1944. Em dezembro de 1946, o descarregamento de um vagão que estava parado na pátio da estação semidestruiu a ainda pequena cidade com então, pouco mais de mil residências (veja box mais acima): Em "Mirandopolis verificou-se violenta explosão que causou a morte instantânea de duas pessoas. Registraram-se cerca de 80 feridos. Os prejuízos materiais são elevados. Um vagão da Noroeste, carregado com formicida e tubos de oxigênio, estava sendo descarregado, quando uma caixa do primeiro produto caiu ao chão Um dos operários que auxiliava o serviço aproximou-se com uma lanterna e, agindo com imprudência, deixou-a cair, ateando fogo ao formicida. Sendo o produto facilmente inflamável, as chamas imediatamente atingiram o vagão, sem que pudessem ser debeladas" (Folha da Manhã, 17/12/1946). Seguiu-se então a violenta explosão. "Durante o início de minha infância e até os 11 anos (1985) eu brinquei muito nesses trilhos e o quintal do Hotel Paz, da minha avó, dava nos trilhos, quase do lado da estação" (Carlos Eduardo Vercelino, 01/2007). A estação estava abandonada em 2014, servindo aparentemente como moradia em uma pequena parte dela (a estação é grande e comprida) e com a passagem subterrânea aberta, utilizada para cruzar os trilhos (embora hoje em dia o movimento de cargueiros ali seja mínimo).

ACIMA: Tragédia em 15 de dezembro de 1946: a cidade toda de Mirandopolis - 1.100 edifícios - sofreu algum tipo de dano devido à explosão de um vagão da Noroeste com formicida e tubos de oxigênio. As fotos têm uma reprodução ruim, mas mesmo assim dão uma ideia dos danos ocorridos (CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VER EM TAMANHO MAIOR) (Folha da Manhã, 22/12/1946).

ACIMA: Meninas na plataforma da estação abandonada de Mirandópolis, em 2003. Ao fundo, o trem cargueiro vem e passará direto pela estação, ao contrário dos dias de outrora (Foto Ana Cristina Caldatto).
(Fontes: José H. Bellorio; Odilio Pereira de Queiroz Neto; Marcello Tallamo; Antonio A. G. Mietto; Marcelo Braguini Ferreira; Folha da Região, Araçatuba, 13/9/2009; IGC; E. F. Noroeste: relações oficiais de estações, 1937/49; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, sem data. Foto cedida por Marcello Tálamo

A estação em 10/1979. Foto José H. Bellorio

A praça em frente à estação, em 07/1986. Foto José H. Bellorio

A estação de Mirandópolis, ainda ativa, em 07/1986. Foto José H. Bellorio

A estação em janeiro de 2001. Foto Antonio A. G. Mietto

Fachada da estação, em janeiro de 2001. Foto Antonio A. G. Mietto

Dístico da estação em janeiro de 2001. Foto Antonio A. G. Mietto

A estação em 2006. Foto Marcelo Braguini Ferreira

A estação em 2014. Foto Odilio Pereira de Queiroz Neto
     
Atualização: 29.07.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.