A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
(1899-1955)
Silvânia
Matão
Pimenta Bueno
...
(1955-2001)
Silvânia
Matão
Dobrada-nova
...

Tronco EFA-1970

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2003
...
 
 
E. F. Araraquara (1901-1971)
FEPASA (1971-1998)
MATÃO
Município de Matão, SP
Linha-tronco - km 41,151 (1938)   SP-2349
Linha tronco (bitola larga) - km 43,000 (1960)   Inauguração: 25.03.1899
Uso atual: abandonada   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 60. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Matão foi inaugurada em 1899, e, colocada antes de iniciar o trecho retificado construído nos anos 1950, sempre se conservou na linha. A linha construída em 1955

ACIMA: Em julho de 2007, o velho prédio, ainda abandonado, é ameaçado pela construção de um túnel sob a linha, a seu lado. A plataforma já foi cortada. A estação continua um caco. Não há respeito pela história em Matão (Foto Amarildo Cristiano Neri). ABAIXO: Fotos do armazem de Matão, em março de 2009 (Fotos Rafael Corrêa).

com bitola larga não alterou seu curso desde Araraquara até a


ACIMA: Bilhete da Fepasa da última viagem feita de Matão a Araraquara por Amarildo Cristiano Néri, em 15/12/1996 (Cessão A. C. Neri, 07/2009).

estação de Matão, mas a partir desta, passou a seguir por outro leito até a estação de Santa Ernestina. Matão tem uma bonita estação, provavelmente dos anos 1910 ou 1920. "Ninguém mora na estação, que ainda conserva as portinholas de madeira de lei trabalhada à mão nos guichês. A estação está aberta, à mercê dos atos de quem passa por ela" (Douglas Razaboni, 01/2005). Em julho de 2007, a construção de um túnel ao lado da estação ainda abandonada acabou com boa parte do antigo pátio ferroviário e comprometeu o futuro do velho prédio, "lacrado" com tijolos onde havia janelas e portas para proteger-se dos mendigos. Uma lástima. Em 2011, estava completamente abandonada e semi-destruída.

ABAIXO: Provavel amurada de saída de antigo desvio, junto à estação. O símbolo da EFA é dos primórdios da ferrovia (Foto Ricardo Koracsony, 03/2013).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Koracsony
; Amarildo Cristiano Neri; Rafael Corrêa; Douglas Razaboni; Ettore M. Gaspar; José Figueira; Paulo Filomeno; Edson Castro; Hermes H. Hinuy; Henrique Aparecido; Memórias do Comércio de Matão; EFA: Listagem oficial de estações, 1938; EFA: Relatórios anuais, 1930-60; Guia Geral de Estradas de Ferro do Brasil, 1960; IBGE, 1956; Mapas - acervo Ralph M. Giesbrecht)
     

A estação, a original, foto sem data. Extraída do livro Memórias do Comércio de Matão

A estação, sem data. Foto cedida por Ettore M. Gaspar, do acervo de José Figueira

A estação em 28/01/1980. Foto Paulo Filomeno

A estação, anos 1990. Foto Edson Castro

A estação de Matão em 16/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação de Matão em 16/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Plataforma da estação de Matão em 16/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Detalhe da estação, em 16/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Estação de Matão em 26/04/2001. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação de Matão, no abandono, em 01/2005. Foto Douglas Razaboni

A estação em 10/2007, pintada por fora. Foto Henrique Aparecido

A estação em 03/2009. Foto Rafael Corrêa
     
Atualização: 16.03.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.