A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Boa Esperança
Codó
Jacama
...

EFSLT - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. São Luiz-Teresina (1920-1975)
RFFSA (1975-1997)
CODÓ
Município de Codó, MA
Linha tronco - km 290,295 (1960)   MA-3676
Altitude: 48 m   Inauguração: 31.10.1920
Uso atual: em pé; uso não conhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. São Luiz-Teresina foi aberta em seu primeiro trecho em 1895, ligando Caxias a Cajazeiras (Flores). Em 1919 foi aberto outro trecho, São Luiz-Caximbos, prolongado em 1920 até Caxias. Somente em 1938 os trilhos chegaram a Teresina, com a abertura da ponte sobre o rio Parnaíba. Trens de passageiros rodaram até o ano de 1991 pela linha. Cargueiros trafegam por ela até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Codó foi inaugurada em 1920. "Cheguei em Codó e encontrei uma cidade com mais de 150.000 habitantes, um hotel bom, limpo e confortável. Tenho de recuperar o fôlego e as pernas. Codó é antiga, foi elevada a vila em 1835 e cidade em 1896. Já foi um grande centro de produção agrícola do Maranhão e produtora do melhor algodão da região. Hoje, Codó é conhecida como uma das cidades que possui o maior número de terreiros de macumba no Brasil, são em torno de trezentos" (www.tracaja-e.net, 2006). "Na primeira manhã depois daquela viagem de trem,

ACIMA: Trem cargueiro de combustíveis passa pela estação de Codó, no meio da cidade, em 2011 (Foto Antonio Brandão). ABAIXO: Mapa (parcial) do município de Codó nos anos 1950 (IBGE: Enciclopedia dos Municípios Brasileiros, vol. III, 1957).
o dia inteiro correndo em trilhos, Codó, Coroatá, Timbiras, Cantanhede, Rosário, tantas estações e paradas, quanto mundo novo ali dentro do trem, a cearensada fugindo da seca para as águas do Mearim, as fagulhas da maria-fumaça invadindo as janelas como se fossem mutucas tirando a paz do sono na viagem; na primeira manhã depois daquela viagem de trem, depois da noite insone na calçada alta do lado de fora da estação, antes que o primeiro bonde passasse, atravessei a rua e fui ao Dormitório Timbira, em frente, onde deixei por um dia a minha mala
" (Edson Vidigal, 19/05/2000).
(Fontes: Mardonio Cesar; Antonio Brandão; Edson Vidigal; Tarcisio Vilarinho; IBGE; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1957-9; www.tracaja-e.net, 2006; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, talvez anos 1930. IBGE

Armazém de Codó, em 1956. Foto da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros

Trilhos do pátio da estação de Codó, em 1956. Foto da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros

A fachada da estação de Codó, em 2006. Foto Tarcisio Vilarinho

A estação de Codó, em 2006. Foto Tarcisio Vilarinho

A estação em 5/2010. Foto Mardonio Cesar

A estação em 2011. Foto Antonio Brandão
 
     
Atualização: 08.09.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.